Posts Tagged ‘looks de verão’

As rica tão usando: escolha seu chapéu antes que o verão acabe!

Friday, February 4th, 2011

Eu tenho um plano de aposentadoria bem feliz. Nos meus sonhos, ele termina em Bora Bora quando eu, deitada em uma rede, bebendo uma Piña Colada e ouvindo a Fine Frenzy, enfarto ao ver meu sexto marido (que tem um terço da minha idade e é sósia do Gerard Butler) saindo do mar e vindo em minha direção.

Mas nenhum desses elementos sequer fará sentido se eu não estiver de chapéu.

Enquando no inverno dá pra separar as podres de ricas das pobreeenha contando quem tá com trench coat e quem tá com blusinha de lã felpuda com gola rulê, o verão tem uma classe social mais facilmente definida: tá de chapéu = milionária.

O problema é a classe média (ah, a classe média) que, galgando acrescentar alguns dígitos em sua conta bancária aparente, compra um chapéu no Rodeio de Barretos e mantém ele pras férias na praia cas criança. Amiga, isso é errado.

Eu sou a realidade e vim te buscar

A gente sabe que você que está nos lendo só não é rica por falta de proatividade do destino – se você aprende nossas dicas, já deve estar transpirando dólares. É por isso que hoje chegamos ao tema que fará você ser rica mesmo que embaixo de um sol escaldante: escolher um chapéu pra fazer carão.

Antes de qualquer coisa, não vamos comprar peça do tamanho errado que ainda não tá dando pra botar São Paulo dentro de Guarulhos (beijo, vó!). Vamos descobrir o tamanho dessa circunferência toda que você sustenta acima do pescoço?  Tire as medidas com a fita métrica passando em volta da cabeça, na altura da testa e dois centimetros acima da orelha e confira seu tamanho correto na tabelinha:

  • 54/55 cm = P
  • 56/57 cm = M
  • 58/59 cm = G
  • 60/61 cm = GG

Além disso, o chapéu, como qualquer peça do vestuário, tem que se adequar ao seu corpo pra te valorizar:

  • as mais baixinhas devem escolher modelos de abas menores, pra não achatar a silhueta e ficar desproporcional;
  • já quem tem o rosto mais comprido, deve procurar chapéus que tenham a copa (a parte acima da aba, bee) média ou baixa – se a copa for muito alta seu rosto vai parecer mais longo ainda;
  • já quem tem rosto quadrado ou redondo vai ficar bem melhor com copas longas do que com as curtas, que podem achatar a expressão.

Agora que você já sabe o tamanho do cabeção e como deixá-lo proporcional no chapéu, vamos escolher os modelos mais bafão de todos? Bom, existem várias opções de chapéus pra as mais diversas situações, de férias na praia a velório! Mas hoje vamos nos focar nos três melhores modelos para o verão:

Floppy

O Floppy é o chapéu que todo mundo mais associa com a cara de milionária: ele é grande e tem a aba bem molinha, dando um efeito meio esvoaçante no look. Pra conseguir sustentar essa aparência, ele tem que ser confeccionado em tecidos maleáveis.

Ele pode ter a aba mais curta ou mais longa. Pra reconhecer um Floppy, não se deve avaliar o tamanho da aba, mas sim o ângulo: ela sempre está inclinando-se pra baixo, na direção contrária a da copa.

A cartela de cores é bem variada: as mais discretas podem optar por um modelo nude, branco, preto ou marrom enquanto as mais saidinhas (é comigo?) podem se jogar nos modelos coloridões!

O floppy fica ótimo com óculos grandões e lenços esvoaçantes, compondo aquela cara de fina. Classificando esse modelo em uma tendência, dá pra dizer que ele combina muito com as meninas classicas e com as bohos.

Dá pra dizer que essa é uma peça coringa, já que se adapta tanto ao visual de cangas esvoaçantes, tecidos molinhos e camisas de seda ou batas, quanto a um visual mais tight com calças skynny, bermudinhas justas e blusinhas mais coladas.

Fedora (ou Trilby)

O Fedora é o chapéu preferido das alternativas – com certeza você já viu modelos nas filas dos bares indie da sua cidade! Ele ficou bem conhecido em uma época que o Justin Timberlake usava o modelo pra tudo.

I'm bringing the chapelismo back

Normalmente os Fedoras são encontrados nas cores branca, preta, cinza e marrom – mas existem modelos coloridos e até floridos. Os xadrez(es?) devem ser usados com cautela por enquanto, já que deixam o carão super invernal.

Como eu já disse, ele combina com um visual mais alternativo ou glam rock. Dá pra usar com skinnies, camisetões, blusinha com colete, alfaiataria, oxfords e sapatilhas. Fica um charme quando combinado com peças de paetê!

Fonte: JustLia

Clochê

Se você gosta de um visual retrô, aproveitando referências dos anos 20, vai adorar o Clochê. Ele combina com um visual mais clássico e sofisticado, embora possa ser usado para compor um look divertido também. Confesso que nunca tinha pensado na possibilidade de usá-lo no verão até ver a Blair usá-lo abusivamente em uma das temporadas de verão de Gossip Girl.

O clochê é difícil de encontrar em qualquer uma das cores e pede tecidos leves no verão, já que também possui versões bem invernais. Você pode combiná-lo com roupas românticas, vintage, retrô, sapatilhas, anabellas, saias de cintura alta e bolsas de mão. Ele não é muito amigo das mais altas porque não tem abas longas.

Agora você deve estar se perguntando “Mas não era o Panamá a grande febre do verão?”. Pois é, bee, você cometeu um dos erros mais comuns da chapelandia: achar que Panamá é um modelo de corte quando é na verdade um estilo de confecção. É considerado um chapéu Panamá todo chapéu que é feito com palha trançada e que recebe uma fita em volta do pé da copa.

Chiara sendo linda com um Panamá floppy

Ao contrário do que muita gente pensa, o Panamá não tem esse nome devido a onde é produzido: ele nasce no Equador! A denominção Panamá deve-se ao fato do chapéu só ter virado febre depois que Theodore Roosevelt visitou o canal do Panamá todo estilo usando um.

O melhor do Panamá é a trama de palha levinha que é a cara do verão, dá pra usar e abusar! Dá pra escolher um de cada modelo!

Na ordem: clochê, floppy e fedora estilo Panamá.

Algumas dicas extras:

  • Quando for usar o Fedora, a tentação de virar a parte curvada da aba pra frente é grande, mas não faça isso: ele vai ficar parecendo um chapéu de Cowboy desmilinguido! O certo é a abinha pra trás, deixando a parte reta proteger seus olhos do sol.
  • Dá pra embelezar seu chapéu com diferentes lenços e broches em volta da copa!. Além de ficar um luxo, se torna uma peça mais versátil e personalizada.

Experimente o chapéu na loja antes de comprar: como no Brasil não temos uma cultura chapeleira muito disseminada, as pessoas esquecem disso e sempre acabam comprando fedoras muito estreitos, floppys muito largos…esqueça disso! O corte do chapéu independe do fato de que ele deve assentar bem a sua cabeça sem dançar ou apertar.

Agora é só fazer um carão de rica e pedir sua Piña Colada!