Posts Tagged ‘flor papel seda’

Enfim noiva!

Wednesday, February 29th, 2012

Vocês perceberam meu sumiço (digam que sim!)? Bem, ele tem uma ótima explicação: estava preparando coisas pro noivado e super queria dividir aqui com as bridelindsays que sempre me pedem diquinhas. Mas tive que me segurar: não queria estragar a surpresa para os envolvidos na festinha, né? Logo, guardei os segredos até o grande momento!

Preparar uma festa de noivado é uma correria deliciosa: se você souber levar na boa e controlar a ansiedade, é uma amostra do casamento com diversão do ínicio ao fim. Principalmente pras beechas emotivas como eu que gostam dessa coisa de organizar ~~momentos mágicos pra pessoinhas amadas.

Preparei um roteirinho de como definimos como cada coisa seria pra ajudar as bridelindas que frequentam o FD. Vamos lá?

O primeiro passo é ter uma lista de convidados bem concisa, e essa é a parte mais difícil. Eu e o Malk resolvemos respeitar a tradição e convidar apenas padrinhos, pais e avós. Por mais que eu quisesse dividir o noivado com todos os amigos do mundo, isso corre um risco muito grande de virar um casamento antes do casamento – e esse não é o objetivo da festa.

Pensando de forma prática, a festa de noivado é  um momento pra convidar oficialmente os padrinhos, pais, mães, damas e demais envolvidos no cortejo. E como isso é a tradição, as pessoas costumam entender que o momento é reservado.

Depois disso, é hora de definir coisas como decoração e cardápio. Eu e Malk optamos por churrasco por três motivos: é barato,  todo mundo gosta e é rápido/fácil de fazer (afinal, estavamos fazendo quase tudo sozinhos). Fora que são poucas as festas com gente tão íntima que você possa oferecer um bom churrasco sem parecer churrascão dos calouros da facul.

Já na decoração, segui a premissa “faça tudo com a cara e o jeitinho de vocês”. Eu e o noivo (sim, ainda estou na fase de encher a boca pra dizer N-O-I-V-O) por exemplo, gostamos das pequenas frescurites – somos aquele tipo chato que acha que a vida tem que parecer com uma foto de Tumblr. Para definir o rumo em que as frescuras apontariam, definimos um tema (amo festa com tema!) – nossa paixão por referências mexicanas. Ou seja, tinha muito colorido, muita decór artesanal e muitos bigodinhos pelo salão.

Foi tudo feito por nós mesmos e muuuito simples. Basicamente, espalhamos pelo salão (com ajuda de Lelê e Luisa, dindas e fiéis escudeiras) flores de papel seda à la Martha Stewart em “vasos” de garrafas de cerveja. Arranjar garrafa de cerveja lá em casa nunca foi um grande problema (né mesmo?) e o tutorial das flores encontrei pelos becos do Pinterest. Só clicar aqui e vocês aprendem a fazer esse enfeite que é simples, barato e muito charmoso.

Pra saudar os convidados na chegada fiz esse quadrinho de giz. Piro muito em quadros de giz, como toda bicha leitora de blog de decór. Paguei só doze reais nesse em uma lojinha xing-ling e a parte boa é que hoje ele virou um cardápio charmosinho na minha cozinha.

Também espalhamos pelo salão bigodinhos e boquinhas de beijinho em palitos de churrasco. Eu sei que parece que isso não faz sentido algum, mas essa foi a melhor coisa que fizemos. Deu aquela quebrada de gelo pras fotinhos da galera que topou a brincadeira. É claro que as amigas mais travestis (Lelê, Lilian, Pri e Ju inclusas) e crianças foram especialmente orientadas a disseminar o bigodismo pelo salão.

Quando eu vi, até minha vovózilda já tava toda bonitinha de boquinha rosa.

Depois da decoração e cardápio resolvido, cuidamos do coeficiente de emoção da festa, definindo como procederiamos com o convite das madrinhas e damas. Para as meninas, nós optamos por caixinhas de MDF coloridas, todas na cor que cada madrinha escolheu previamente para seu vestido no grande dia. Para os padrinhos, saquinhos de tecido nas cores do vestido de seus pares.

Todas  tinham laços de cetim e tags com o nome do padrinho/madrinha/dama. Para as meninas, o nome acompanhava uma boquinha, já para os meninos, um bigodinho.

É claro que alguns foram sacaneados com presentes pink no processo (beijo Igor e Thiago!). Mas, se dizem que o casamento é a festa da noiva, o noivado é a festa das madrinhas, né mesmo?

Dentro de cada caixa, colocamos alguns mimos pros dindos. Eu, que sou gordinha tensa, escolhi pras minhas meninas um pãozinho de mel delícia em caixinha de coração e brigadeiros de colher. Já o noivo, uma pessoa mais etílica, presenteou os padrinhos com uma cervejinha – mexicana, claro! Apesar  do conteúdo docinho ter sido um sucesso só, o que fez lágrimas rolarem foram as “cartinhas”.

No convite de cada madrinha e padrinho escrevemos algo bem pessoal, basicamente uma explicação do porque aquela linda e lindo é tão importante para o casal. De quebra, fizemos cartas de pedido de benção para os pais e mães e convidamos as avózinhas para serem nossas damas de honra. Elas ainda não sabiam dessa surpresa e ficaram muuuito emocionadas. Um chororô daqueles!

E, por fim, em vez  de brindar, optamos por docinhos e bolinhos pra comemorar o acontecimento. Minha família não é muito de álcool e tenho amigos que não bebem (e não sei porque são  meus amigos, gente). O docinho agradaria todo mundo, né?

E pra manter o clima de ~~magia no ar, encomendei com a Jujubets da Caramelo Cupcake um rainbow cake bem lindão e delicinha.

A massa era de maracujá, a cobertura de ganache de chocolate e o recheio de brigadeiro branco – reflitam por um momento. Enfim, acho que isso foi tudo que rolou – e isso é coisa pra caramba, né mesmo?

Pra quem planeja as demais coisas, segue meu resumão de fornecedores:

– Flores de seda e bigodinhos de palito: eu e o noivo fizemos uma oficina lá em casa. Compramos todas as folhas na papelaria Bebik (Av. Sen. Souza Naves, 883). Ela não é a mais barata, mas é do lado da agência e facilitou super;

– Papelaria (convites, cartas e tags): foi planejada por mim mesma e como sou designer aceito encomendas pra desenvolver e imprimir coisas do tipo no debora@fashiondescontrol.com.br;

– Caixas de MDF em tecido: todas  foram feitas no ateliê da Giulianna Andrioni que, pela minha pesquisa, tem o precinho mais amigo de todos e  super adapta tamanhos e revestimentos ao que você precisa. Contato no (41) 9605 4719 ou  giuliannacosta@hotmail.com;

– Os pãezinhos de mel  também são  do ateliê da Giulianna. Encomendei os especiais, com doce de leite argentino, pra dar mais emoção. Pão de mel mais fofinho da cidade e só faz por encomendas, super recomendo!

– Os saquinhos de tecido foram feitos em casa mesmo, por uma tia nossa. Compramos os mesmos tecidos que revestiram a caixa, mas sei que a Giulianna também faz esses;

– Os  copinhos de sundae da decór são do super mercado extra. Tem em váaarias cores e são muito baratinhos, R$1,99;

– O rainbow cake delícia é da Caramelo Cupcake. Já as musses de copinho que foram servidas e os brigadeiros de colher das caixinhas foram feitos pela minha mãe que era confeiteira, mas sei que a Julia da Caramelo (que também é a Juh do Sem Finesse, olha só!) aceita encomendas desses bonitos;

–  Fotos: cheguei a cotar com os meninos  lindos do Imadine Fotografia , que, aliás, farão meu Save  The Date. Mas, resolvemos não investir nisso por enquanto. Acredite você ou não, mas a fotografia ficou por conta do meu sobrinho de sete anos (que é melhor fotógrafo do que eu) e da Julia (que táva meio bebinha mas conseguiu ótimos cliques). A edição foi feita toda por mim e eu também faço esse trabalho por encomenda pra quem estiver interessada ;).

Ufa, acho que é isso, meninas! Tentei registrar o máximo de coisas pra facilitar a vida das noivinhas planejantes – mas qualquer dúvida é só me perguntar que to super aberta a dividir. Afinal, vi o trabalho que é organizar uma festinha assim e sei que às vezes a gente precisa de ajuda, né?

E vocês, gostaram desses posts? Querem ver mais coisas assim sobre festas e decoração? Agora que descobri o quanto gosto do tema e tô virando uma senhora de família, quero muuuito escrever sobre isso!

E de brinde pra  vocês: gif das madrinhas mais lindas da blogosfera: