Posts Tagged ‘benefit’

Custo aqui x custo lá fora, o que compensa?

Thursday, March 29th, 2012

Estava conversando com um colega de trabalho que vai viajar pra fora e entramos na discussão: o que vale comprar fora o que não hoje em dia?

A gente tem essa sensação de que tudo no mundo é muito caro no Brasil e ridiculamente barato no exterior. Por causa disso, criamos a preferência por comprar enxoval (a Helô comprou o da Cecília em Miami), vestido de noiva, eletrônicos pra casa, celulares, perfumes e – claro – muita maquiagem no exterior. E isso acontece desde com quem pode viajar todo ano até quem apenas faz as famosas encomendinhas pras amigas.

Mas nem sempre o custo de venda Brasil é  tãao mais caro que o do exterior hoje em dia. Já  existem marcas que antes eram impraticáveis de serem compradas por aqui (como a Revlon e a Victoria’s Secret) que podem ser encontradas em qualquer esquina. Por causa disso, fiz uma listinha de coisas que eu ainda encomendo das amigas que vão pra fora (classe média feelings) e coisas que já prefiro comprar aqui com o motivo. Quem sabe isso não inspira as compras de vocês aqui e lá fora?

Perfumes: Perfumes em geral compensam muito! A economia às vezes chega quase próximo a 50% do valor (o que em porcentagem é menos do que o esperado). Mas em cifras, um perfume de 350 dinheiros aqui custa no máximo 120 dólares lá. Faz a conversão pra ver como você  economiza.

MAC: Preciso nem explicar muito, né? Enquanto os batonzinhos amados e Fluidlines da vida custam 75 reais por aqui, nas MACs americanas você os compra por 15 dólares. 15 DÓLARES. Cada batom aqui paga três lá praticamente. Isso sem falar em bases e pincéis que podem gerar uma economia de quase cem dinheiros por peça. De enlouquecer?

Bases grifadas: Sabe aquelas bases de rica? Tipo Chanel, Dior, Guerlain… Aquelas marcas que a gente compra e fica com dózinha de usar todo dia? Pois é, elas chegam a custar 200% mais caro no Brasil que no exterior. Nessas horas, a dica lá fora  é se embrenhar numa Sephora com espírito aventureiro no coração e investigar tudo sobre sua cor de pele + acabamento favorito pra sair com um mini estoquinho. Principalmente se você viaja tanto quanto eu (ou seja, nunca).

Além disso,  anote  essas marcas preciosas que praticamente só são encontradas lá fora (ou aqui dentro com precinhos impraticáveis): Benefit, MUA, Kiko Make Up, Too Faced, Morrocan Oil, Pupa, Bed Head… Todas coisas lindas que eu uso sempre e não tenho coragem de pagar aqui.

Victoria’s Secret – coqueluche essa, heim? Houve uma época que você só era alguém na vida se cheirasse a baunilha ou morango com champagne. Hoje, como já dito, você encontra Victoria’s Secret em qualquer esquina por 30 a 40 dinheirinhos. Não é tão barato quanto nos EUA (que dá pra pegar promoções por menos de 5 dólares), mas o tanto que é mais caro não é em valor bruto significante o suficiente pra você ficar sem seu perfume caso não viaje.

Eu prefiro comprar aqui meus creminhos e body splashes sempre que descubro um sabor novo gostosinho. Até porque não sou viajante expert e as amigas que trazem Victoria’s Secret lucram quase nada com o produto vendido (paga nem a viagem, gente, muito barato).

Revlon – Vide Victoria’s Gate acima. Revlon continua sendo uns 200% mais caro no Brasil, mas são 200% mais caro que não somam nem dez reais em esmaltes e batonzinhos. Mais uma vez, se a economia não paga a passagem, não ocupe volume nos seus amados 32 quilinhos.

E vocês? O que trazem de fora ou encomendam dazamigue viajantes ultimamente? Dêem a dica aqui nos comentários!

Testando 1, 2, 3: Victoria’s Secrets Cheek Tint

Thursday, June 30th, 2011

victoria's secrets cheek tintE aí bonita, já ouviu falar em cheek tint? Lip tint tia Lelê já mostrou aqui bonitinho o que é, e o princípio é maomenos o mesmo. Um dos cheek tints mais famosos que existe é o Benetint, da Benefit, só que por ele ser líquido (esse tá na minha wishlist a um tempinho já, junto com metade da linha de produtos da Benefit), é um pouco diferente do que eu vou mostrar pra vocês (aliás, esse foi presente de uma amiga de muitos anos que comenta sempre por aqui: Brigada Lu, sualinda!).

victorias secrets cheek tintO cheek tint da Victoria’s Secrets é nesse formatinho stick (sabe desodorante masculino assim, aqueles meio escorregadios? Então, a textura é exatamente a mesma!), só girar aquela bolinha de baixo, o stick sobe e fica pronto pra usar.

A praticidade, na minha opinião, é o maior ponto forte dessa gracinha. Só pegar, passar o stick nas bochechinhas e espalhar com os dedos mesmo, carinha de saúde e ryqueza instanânea!

victoria's secrets cheek tintO único porém é que devido à textura dele, fica meio chatinho de passar se você gostar de uma pele beeeem feita, com bastante cobertura. Eu diria que ele funciona melhor naquele look pele levinha, bochechas rosadinhas de saúde, aquela coisa bonita de se ver. Num overall, super aprovei, mesmo porque não costumo usar base todos os dias, então ele serve muito bem pra mim.

Quero já: coleção MAC Wonder Woman e outras coisinhas fofas desse mundo

Monday, January 3rd, 2011

Makeupaholic também é colecionadora e fuxica tudo que é possível assim como qualquer colecionador viciado. Logo, imagine a cara das bees quando vazou a notícia de uma coleção Wonder Woman pra MAC? Eu especialmente fiquei bem louca porque é nerdismo + travestismo em uma combinação única de felicidade.

A Lia Camargo conseguiu imagens que vazaram em um blog de beauté francês pra mostrar esses xuxus e eu fui bem locona conferir…

Mas, olha, eu sou tão jacu que o que mais me atraiu foi…a necessaire com forro de estrelinha. Tá, eu sei que sou chata e repetitiva com isso, mas, depois que você compra sua primeira paleta bem pigmentada com um milhão de cores do submundo da maquiagem lado C, fica COMPLICADO gastar as merrecas com uma sombrinha solitária da MAC. As cores respeitam a cartela da feminilidade na Liga da Justiça, but tem que ver isso aí. Aguardemos o fim de março pra, como diz vovó, ver com a mão as crianças.

Anyway, o mercado fofo do make já é um velho inimigo do bolso. Não, ele não costuma ter cartelas de cores inovadoras, mas é tudo tão OWNNNN que nem precisa – somos seduzidas por frasquinhos. Vale relembrar algumas coleções que nos fizeram ficar tipo “ah que isso elas estão descontroladas”:

Pra quem não sabe, meu lado DEZAINERZONA chora purpurina quando vê ToyArt de qualidade. Eu já tinha fixação por Tokidoki muito antes de virar modinha (sou tr00, malzaê). Cheguei a ganhar uma CiaoCiao de vinil do bofe que é tipo meu xodózinho. Quando o Simone, esse lindo, se juntou no mesmo ano com a Sanrio (produzindo a coleção em que a Hello Kitty encarnava a Vaca Moozzarella) e com a Sephora (que é a Sephora) eu fiquei bem maluca.

O fato é que nunca consegui nada dessa coleção, triste. Mas, tenho informantes francesas que me garantem que quando o bafo chega na loja até as necessaires esgotam em uma semana. Loucura, loucura, loucura, diria Luciano (o Incrível) Huck.

A segunda vez que a Sephora me fez querer vender meus rins por maquiagem foi quando prometeu Hello Kitty. Quer dizer, me aponte um traveco na noite que não colecione coisas da Hello Kitty. Mas não é o jogo de pincéis rosa nem o espelho cravejado que faz meu coração acelerar – minha humildade baba mesmo é nesses esmaltes flocados em vidrinho de cabeção de gata sem boca, OMG!

Isso porque não estamos falando da primeira vez que a Kitty se associou a um império da beleza: Uma das maiores tristezas da minha vida é que meus pincéis não moram nesse “copinho” (condiçõe$h) de cabeção da HK negra do mal. Além disso, as cores dessa coleção foram way better que qualquer outra que tenha sido planejada para capturar nosso dinheiro através da nossa alma de menininha.

Falando em MAC: não podemos esquecer a febre de 2010 que foi a coleção Venomous Villains. Afinal, quem não ama os vilões da Disney? Essa foi outra que teve uma cartela de cores considerável. Embora os tons abertos não tenham sido valorizado, os travestismos de brilhos difenciados somados a cores discretas fizeram desses produtos uma série simplesmente unica pras colecionadoras.

Fora os exemplos que eu citei, temos outras parcerias enlouquecedoras que já rolaram, como a da Barbie pra MAC ou a nacional linha Penélope da Risqué. E não podemos esquecer nunca de marcas como Benefit, Too Faced e Pupa que já despertam nosso lado girlie sem precisar de parceria nenhuma por ser naturalmente fofíssimas!

E vocês, já compraram make pela embalagem só pra fazer a diferenciada na necessaire? Contem aí nos comentários qual foi, meninas!

Testando 1, 2, 3: Primer That Gal Benefit

Wednesday, November 3rd, 2010

A Benefit está no coração catalogada como “Marcas que amamos porque, ah meu deus, isso é tão fofo!” graças aos nomes e tipos de produtos lançados. O Primer That Gal tem uma vibe meio California Girls tamanha, que eu tive muito medo do Snoop Doggy pular do frasquinho quando eu abrisse.

vô te assombra!

Eu tenho todo aquele meu receio de primers, sobre o qual já falei aqui. Mas tava quase de graça no Ebay então lá fui eu.

A textura dele é meio pegajosinha, o que me deu bastante medo – até porque testei o produto num dia que tava um calor do cão aqui em Cwb e tinha a formatura da Dona Lelê para atender com minha phyness. Mas os poros fecharam bem, a pele ficou uniformizada e eu consegui enganar todo mundo que tenho pele de gente rycka dos alpes suíços.

A maquiagem não simplesmente segurou. Ela me agarrou para todo sempre. Pelo bem do bloguismo investigativo (não tentem isso em casa!) eu dormi com o make na fuça só pra ver onde isso ia dar. Quando acordei às oito da manhã, com medo do carão não sair nunca mais, tirei com sabonete liquido pro rosto e saiu tranquilamente. Um primer que segura bem mas sai com sabonete, não é genial?

O ponto negativo vai pra cor dele. Na minha pele deu uma clareada legal no tom, não sei se não vai acabar piorando o efeito com peles mais escuras.

Mas de qualquer forma, tô eu aqui, sem poros entupidos e nenhuma espinha até agora. Benefit, me abraça!

#comofas: necessaire básica e o que trazer dos EUA

Monday, October 18th, 2010
necessaire louis vuitton

O guia de montagem de uma necessaire RYCKA E PHYNA.

Tudo começou quando a sista Karine resolveu tirar suas férias nos states. Pra aproveitar os precinhos amigos encontrados em qualquer lugar que não seja o Brasil, ela nos perguntou o que deveria constar em uma necessaire básica e o que era legal trazer dos Estados Unidos.

Buscamos na rede vários posts do tipo “Montando a Necessaire Básica Ideal”. Achei desde necessaires do tipo Base-Rimel-Gloss (ai, que pobreza) até gente dizendo que a Necessaire da iniciante conta com três cores de base e três cores de corretivo (OIQ?).

Resolvemos montar uma lista do que nós julgamos ser uma necessaire básica para uma iniciante. Como somos amigas da garotada, vamos dividir a tal lista com vocês. De quebra, dizemos o que vale ou não trazer dos Estados Unidos.

Não é tudo que você sempre quis? Então segura nossa mão e vem cagente!

Base

bases clarins, dream matte

Ao contrário do que é pregado por aí, não acreditamos que primer é item básico de necessaire de iniciante. Isso porque o produto pode dar mais dor de cabeça do que ajudar, gerando muita oleosidade e espinhas. Começamos logo com a base, que serve para cobrir o rosto e corrigir pequenas imperfeições que dels te deu.

Vale a pena comprar nos EUA?

Gatha, tá de bobeira na gringa? Traga uma mala só com base de volta pro Brasil. A experiência da Lelê mostrou que uma bobeira gigante foi não trazer dazoropa mais um Fond de Teint Lisse Minute, da Clarins. Bem feito pra ela, que nunca mais teve a base mais linda, perfeita e tchutchucona de todo o mundo e se recusa terminantemente a pagar o preço exorbitante em Morangão e semelhantes.

Sinceramente, ainda não conhecemos uma base nacional que preste. Ou dá muito espinha, ou deixa muito oleoso, ou a cobertura não dura nada, ou parece que rebocamos a cara…Fora que achar seu tom no Brasil (onde existe 6 tons de base no máximo nas marcas mais completas) é missão impossível. E se você achou é porque não tem pele de gente rica que nem a gente.

Nos EUA uma StudioFix da MAC (amor verdadeiro, amor eterno) custa algo em torno de 26 doletas. Aqui, por menos de 120 dinheiros você não põe a patinha em uma – pelo menos em uma revenda autorizada e com impostos em dia.

Outra marca que vale a pena é a Maybelline. As bases da marca que custam em torno de 35 reais por aqui (quando você encontra seu tom de pele), podem ser encontradas por menos de 10 dólares em qualquer farmácia americana.

Resumo da ópera: invista em base, colega. Principalmente porque a chance de você encontrar uma base boa na sua cor nos istaites é infinamente maior do que as chances de achar uma base boa com a cor ideal no Brasil.

Corretivo

corretivos mufe, benefit, mac

Quando aquela espinha chega ou as olheiras denunciam sua vida saúdavel que não tá acontecendo, ele salva sua pele. Esse amigo da garotada salva vidas, isso sim.

Vale a pena comprar nos EUA?

Vale, vide motivos da base. Além disso, no Brasil os corretivos legais mesmo de brincar (entendam como corretivo verde, amarelo, laranja…) são vendidos pelos dois olhos da sua cara com olheiras e tudo.

Estando na terra do consumo, procure o aclamado kit da Make Up Forever. Caso você queira algo bom, mas não tão com cara de make profissional, vai de Confessions of a Conceleaholic da Benefit, que já vem com primer, espelhinho e toda a fofura da Benefit. Saia correndo se no seu caminho passar um Kit da Victoria’s Secret, que é uma caquinha.

Um corretivo da Studio Fix também é muy bien venido como investimento para o ano.

Blush

blush nars orgasm

Até a diva Stephannye (acertei a numerologia?) sabe que não devemos ficar sem o nosso blush, blush, blush, blush. Pro arzinho de saúde de todo dia, é coididels.

Vale a pena comprar nos EUA?

Depende. Estamos falando de algum clássico, como o Orgasm da Nars? Se não, não vale. E não me venha falar que não existe blush mate no Brasil:  a Natura tem uma linha bem completa de blushes mates por mais ou menos doze dinheiros cada (a Aquarela) pra qual ninguém dá a mínima. E é o blush que A Debs mais usa. E dura a vida inteira, minha gente, INTEIRA.

A não ser que você encontre blushes por um dólar na Victoria’s Secret ou numa farmácia qualquer. Mas não conseguimos pensar em um blush fora o Orgasm que nos faça nos mover de país para comprá-lo.

Sombras

sombras coastal scents e urban decay

Junto com o batom elas fazem parte do grupo de coisas que muda o make de dia pra noite e dão graça e personalidade pro seu rostinho de princesa. Coloridona, esfumada, básica, preto-guaxinim…não importa seu estilo, a sombra é o que mais ajuda a compor o personagem.

Vale a pena comprar nos EUA?

Depois do advento do Ebay? Cê deve tar me zuando, né? Mesmo caso do blush: a não ser que você encontre uma cor linda a um dólar na farmácia (porque as da Victoria’s Secret são uma caca) abraça o Ebay e seja feliz.

Porém, classe média que somos, ficamos bem loconas toda vez que a Urban Decay lança uma paleta nova. Não pelas cores, porque depois que o tio coreano chegou às nossas vidas podemos ter todas as cores do mundo dentro da gaveta, mas porque é bonito e gostamos de coisas bonitas, simples assim.

Delineador

delineador líquido e gel

Pra fazer aquele olho de gatinha, dar uma boa definida na raíz dos cílios e chamar a atenção pro seu olhar de fera de pele macia. Delineador é essencial na vida da maioria das makeupaholics e pode ser um bom aliado das iniciadas.

Vale a pena comprar nos EUA?

Vale. A maioria dos delineadores baratos no Brasil são é bem aguadinhos e vagabundos, merecendo menção só mesmo o da Vult, que é parceiro. Além de ser fácil de aplicar, ele é negão de tirar o chapéu e se der mole é créu mesmo, porque o bichinho só sai com reza brava. Mas, né. É Vult. Não fica bonito na necessaire da amygha que quer ser fina. A gente defeca solenemente para questões como essa e se gruda com maquiagem lado C.

A Belle (do Chez Belle) trouxe dos States um delineador HIP da Loreal (em gel) no qual a Debs baba. Os delineadores em gel da Maybelline também são coideloco. Mas nunca ninguém irá valer mais a pena para delinear seus olhinhos do que um bom Fluidline da MAC.

Quanto a delineadores coloridos, amiga, compra um pincel de delinear bem bão, taca água nele e delineia com sombras da sua paleta. Assim você tem um milhão de cores de delineador e não um potinho de gel com uma única cor que não acaba nunca mais.

Máscara para Cílios

mascaras para cilios

Para deixar seus cílios como os de uma bonequinha de porcelana ou apenas definir os três pelinhos ralos que compõe sua pestana, a máscara é esencial.

Vale a pena comprar nos EUA?

Ô se vale! Rímel lá é mais barato e tem um milhão de opções. Mas aqui, opte por uns dois ou três de  marcas de farmácia mesmo (olha a  Maybelline de novo) e traga um rímel baphônico da Givenchy, Chanel ou qualquer um dos maravilhosos da Sephora – vai depender do que você pretende fazer com seus cílios pra escolher. Então, amiga, leia os rótulos por gentileza.

E não compre da MAC. Eles tinham que ser muito ruins em alguma coisa e escolheram que os rímeis seriam uma bela porcaria bem cara.

Batom

sugestões batons EUA

A boca coloridona voltou a cena e é preciso ter uma boa cartela: um rosinha de menina moça, um cor de boca pra fazer a natural, um laranja quero ser Fendi, um vermelho aberto de mulher fatal, um vermelho mais escuro pra fazer a diva, um nude pra fazer a Fashionista…ufa!

Vale a pena comprar nos EUA?

Depende. Vale, se você faz questão de ter um legítimo Schiap, Viva Glam Gaga, Snob, Impassioned, Ruby Woo, Myth… Agora, se você quer a cor e não o rótulo, o Brasil oferece marcas fantásticas e baratas, como a Koloss e a Yes! que tem as mesmas cores.

Quanto a questão da duração: entre retocar o batom de três em três horas ou retocar de oito em oito caso eu não coma, não vemos muita diferença.

Lápis para Esfumar

sugestões lápis EUA

Ok, hoje você é iniciante. Mas eu dúvido que amanhã você vai resistir a tentação de sair bem esfumadona tipo um guaxinim na rua. Todo mundo sai tipo um guaxinim uma vez na vida. E lápis esfumado na linha d’água é vida inteligente na madrugada, minha gente.

Vale a pena comprar nos EUA?

É claro que vale. Quando é da Urban Decay. Se não, num vale a pena nem entrar no avião, pede um da Avon e não torra a paciência. Mas, se no meio do caminho te aparecer um lápis da Gosh (marca dinamarquesa que é solenemente ignorando pelo mundinho da beauté porque, bem, é dinamarquesa e o que nós sabemos sobre  a Dinamarca, afinal de contas?), se abrace e vai ser feliz. São impossíveis de achar até mesmo no Ebay e não saem dos seus olhinhos nunca mais. NUNCA MAIS.

Pincéis

pinceis sephora

Eles são o segredo de todo make bem feitinho! Todo mundo sabe que um bom pincel salva uma sombra ruim mas que uma sombra ruim não salva um bom pincel. Por isso, comprá-los em uma loja de boa procedência é essencial. Os pincéis básicos necessários são:

Base – Corretivo – Pó – Blush – Sombra – Lábios

Sendo que para a sombra é ideal ter dois que esfumem, dois que apliquem e um que delineie. Mais pra frente, falaremos sobre o mimimi que é saber a função de cada pincel que a China já produziu.

Vale a pena comprar nos EUA?

Se você pretende comprar pincéis da MAC, é infinitamente vantajoso trazer de lá, já que o preço pode chegar a menos da metade do que é vendido nas lojas da franquia por aqui (quer um exemplo, bonita? O divônico duo fiber 187 custa 42 doletas na gringa. Aqui no terceiro mundo, em loja física da MAC, sai por R$203). Caso não, pincéis da ProArt e da KlassVough vendidos por aqui tem melhor custo benefício que os vendidos nas Sephoras por aí.

De qualquer forma, a Debs tem um conjunto de pincéis da Claire’s que ganhou da Belle (do ChezBelle) quando ela foi passar as férias na terra do Tio Sam. O conjunto tem dois pincéis de aplicar e um de delinear sombras que são basicamente os melhores pincéis do mundo. Boatos que o preço desse joguinho é em torno de 13 doletas, o que compraria no máximo três pincéis ProArt aqui. Compensa, né?

Curvex

curvex shu uemura golden

Olhos de boneca Emília são só finalizados pelo rímel. Mas todo mundo sabe que um apetrecho de tortura chinesa chamado Curvex é necessário pra que você fique toda CENÇUAL NO OLÍAR.

Vale a pena comprar nos EUA?

A gente sabe que Shu Uemura está sendo retirado do mercado americano e que não está mais sendo tão fácil encontrar os produtos por aí. Minha amiga, se você se deparar com o sensacional curvex da marca, se abrace com ele como se não houvesse amanhã. Boatos dão conta de que o curvex da Contém 1g também é muy amigo da cocotada, mas eu nunca nem vi nem comi eu só ouço falar (o número de vezes que Lelê procurou esse curvex tem dois dígitos, tchurma), garanta o seu Shu.

“Ah, mas curvex não é itens básico na necessaire!” Papo de quem nunca teve suas pestanas bem faceiras mirando o céu. Vai lá apertar seus cílios e depois a gente conversa.

É basicamente isso que achamos básico. Entramos numa discussão aqui se pó queimador (vulgo bronzer) e iluminador eram básicos, mas dá muito medo aconselhar a galera e ver coisas assim na rua novamente.