8 dicas para escolher bem seus óculos de sol

Rate this post

Cuidar de nossos olhos é fundamental, pois são para toda a vida. Agora que chega o bom tempo e estamos mais expostos a luz solar é muito importante escolher um bom óculos de sol, pois, como dissemos antes, os olhos são para a vida toda, e não qualquer par de mercado serve para prevenir os danos do sol.


“Passamos muito tempo em frente ao sol e o olho pode ir sofrendo através dessa luz ultravioleta, que pode danificar a pele, mas também pode danificar o olho e é muito importante trazê-los bem protegidos”, afirma em uma entrevista com Infosalus a presidente da Sociedade Internacional de Optometria do Desenvolvimento e do Comportamento (SIODEC), Glória Hermida.


A especialista considera que é a hora de proteger os nossos olhos da luz solar é imprescindível o uso de óculos de sol quando se vai para a neve, já que podem ocorrer queimaduras no olho, frente a um poderoso reflexo da luz solar, e de preferência, recomenda os cristais de categoria 4.


A longo prazo, são muitos anos e horas de exposição ao sol. Quanto mais protegidos tenhamos os olhos, melhor. É necessário filtrar a luz ultravioleta“, insiste a nada.


Com tudo isso, enumera os principais conceitos que temos de atender na hora de escolher um bom óculos de sol, assim como os erros que não deve cometer:


1.- Sempre escolhe-las seguindo o conselho do optometrista, e comprá-las em um estabelecimento óptico, já que existem muitos tipos de intensidade do filtro. “Há quatro categorias: a 4 é a mais escura, que é usada sobretudo para a neve; e a 3 é a mais comum e tem quase todos os óculos; e a 2 e a 1 são lentes menos coloridas e deixam passar mais luz. Em função da necessidade que temos deve-se usar umas ou outras”, esclarece.


2.- É necessário que tenha filtro UV. Qualquer óculos que é vendido dentro de uma ótica cumpre com os requisitos contra a luz ultravioleta, que é o que pode prejudicar os olhos, mas fora de um estabelecimento óptico não se garante que este esteja presente no vidro.


“Levar uma lente escura e sem este filtro pode danificar muito o olho porque quando há escuridão, a pupila se amplia e deixa passar mais luz. Então com esta lente sem filtro UV entra muita luz, nossa pupila estará muito grande, e você estará prejudicando seriamente a nossos olhos”, esclarece.


3.- Quanto aos tons, Hermida aponta que, em geral, os míopes enxergam melhor através das lentes coloridas em marrom, enquanto que os hipermétropes através das cores verdes. Também diz que há lentes com muita curvatura e há pessoas que não o toleram. Por isso, aconselha-se seguir as recomendações do optometrista em todo momento.


4.- Na hora de escolher óculos e cristais, diz que há tipos diferentes de materiais, o mais importante é atender as lentes, que as há de vidro e orgânicas. Antigamente se usavam mais as lentes de cristal, mas agora geralmente todas são orgânicas. Estas se caracterizam, principalmente, porque se você cair o vidro da lente não está quebrado, e, além disso, porque pesam menos. De fato, destaca-se que em lentes graduadas, o vidro está em desuso.


5.- Se a ideia é comprar um óculos com lentes polarizadas Hermida sustenta que não está mal pensado. “É uma grande vantagem, sobretudo para as pessoas que levam muito ou estão no mar, porque polarizan a luz e eliminam muitos reflexos e brilhos”, adverte.


6.- Se você está barajando a opção de uma lente, espelho, porta-voz de SIODEC destaca-se que, embora se trate mais de estética e estas não influenciam negativamente a saúde visual, sim assinala que, “o único”, trata-se de lentes que você tem que cuidar um pouco mais, porque se nota mais a deterioração da lente, os rayajos.


7.- Exatamente, adverte que na hora de comprar óculos muitas vezes só olhamos para a parte estética, e não seguimos as indicações do nada, quando o que deve prevalecer é a nossa saúde visual.


8.- Em sua opinião, o erro mais grave” na hora de comprar os óculos, é fazê-lo fora de um estabelecimento óptico porque não contamos com o aconselhamento necessário para escolher uma boa vidro e porque se desconhecem as condições ou características adequadas de vidro, geralmente de pior qualidade, e com mais bilhetes para prejudicar nossos olhos.