Archive for February, 2011

#comofas: bronzeando sem torrar [parte 2]

Friday, February 25th, 2011

Você, amiga dedicada que prestou atenção direitinho no primeiro post dessa educativa odisséia de como ficar da cor do verão, agora vai ficar sabendo de mais algumas dicas importantes pra evoluir do branco fantasmagórico a uma corzinha mais saudável (gradativamente, sempre! esse é o segredo, não dá pra ter pressa, senão já viu!).

Dando uma mãozinha à natureza

Existe uma série de produtinhos amigos capazes de ajudar as amigas a ganharem uma corzinha com dignidade. Os autobronzeadores são não somente uma alternativa ao sol, mas também um complemento à exposição solar. Lógico que a grande vantagem deles é bronzear sem causar danos à pele. A mágica toda ocorre por causa de uma substância chamada DHA (dihidroxiacetona) que, ao reagir com os aminoácidos presentes nas células mortas da pele, produz um pigmento chamado melanoidina (esse pigmento, ao contrário da melanina, não ajuda a proteger a pele da exposição solar).

Existem marcas de autobronzeadores e loções com efeito autobronzeador (essas dão um efeito mais sutil, mais gradativo, ideal pra quem está mais branquinha e sente medo de ficar laranja) para todos os bolsos e gostos. Os truques pra aplicar são os mesmos pra todas as marcas: é importante, para que você amiga travestchy consiga um bronzeado uniforme é esfoliar a pele (especialmente nas áreas mais ásperas, como cotovelos e joelhos), aplicar o produto de maneira uniforme (lave a mão depois, sua doida, senão vai ficar com as palmas laranjas – acredita em mim, isso acontece mesmo!) e deixar secar bem antes de se vestir!

As loções com efeito autobronzeador, além de darem uma corzinha a mais, hidratam a pele e esse é um dos grandes segredos pra se manter da cor do pecado (e não ficar desbotadinha) por mais tempo: hidratação!

Torrei, e agora?

Ah sua malandrinha, não prestou atenção nos meus conselhos e torrou no sol? Fica calma, apesar dos possíveis danos a longo prazo da exposição inadequada ao sol, existem maneiras de aliviar esse mal-estar e essa cor vermelho tomate.

Além daquelas famosas loções cor-de-rosa que mamãe passava quando éramos crianças serelepes torradas pelo sol (não sei vocês, mas em mim aquilo coçava pra burro!), existem os magníficos géis e loções pós-sol, em sua grande maioria formulados à base de aloe vera.

Você, beesha desinformada, vem e me pergunta, o que é isso? Eu te respondo, é babosa, sua boba! Sabe, aquela ótima pra hidratar os cabelos? Então, essa mesma, a Aloe Vera é mil e uma utilidades, tipo bombril! Com extratos de aloe que hidratam a pele e dão aquela refrescadinha, logo logo você, amiga torrada, estará novinha em folha! (só faça-me o favor de, na próxima vez, prestar atenção nos meus conselhos e usar protetor solar, senão vai descascar e ficar parecendo um dálmata, em vez de morena jambo da cor do pecado).

Descontroladas por aí: comprando gato por lebre

Thursday, February 24th, 2011

Ontem dei uma passadinha em uma famosa casa de cosméticos aqui de Curitiba que não citarei o nome (responsabilidade jurídica, oi) e encontrei algo na vitrine no mínimo intrigante: a loja vendendo produtos da MAC. Eram bolinhas iluminadoras no estilo rico dos Meteoros da Guerlain, mas a caixa dizia MAC.

Ou seja, era uma proposta de comprar uma lebre e levar um gatinho.

MIM LEVA SÔ BONITO

Gente, vamos lá: não, nós não somos nenhum pouco contra maquiagem xing ling por aqui. Não achamos que você tem obrigação de vender suas calcinhas para pagar o aluguel e utilizar batom da MAC e base da Dior.

Na verdade, adoramos a possibilidade de pagar barato por produtos de qualidade e sempre apoiamos marcas pequenas que estejam chegando no mercado e dando as caras a tapa lançando, sei lá, um batom azul por cinco dilmas.

O fato é que a MAC é uma marca que já investiu e construiu uma identidade confiável e poderosissima. Mas, se os blogs não se compadecerem de quem tem muita qualidade e pouco investimento, me diz como vocês vão descobrir que eles existem? Logo, maquiagem barata, honesta e desconhecida chega até a ter preferência na nossa fila de resenhas por uma questão de utilidade do texto na vida de vocês leitoras.

O que somos contra mesmo é fazer a cliente de otária. LuisVance, P&W, Tango, Macrilan…são todas marcas baratinhas que até “se inspiram” (cof, cof) e tentam se passar por outras no design ou cor, mas nunca assumem uma identidade falsa. E sabe por que isso faz diferença? Porque você sabe pra quem pedir ajuda na hora que sua pele ximbolota de alergia ou que o produto faz nem cosquinha na pigmentação da sua cútis.

Eu não vejo motivos para um bom produto, que não tenha problemas com o Ministério da Saúde e tudo mais, tentar se passar por um de uma marca que não é. Se tá como nome falso é porque algum problema tem. E, quando o problema aparecer, amiga, cê vai gritar pra quem?

Assumimos a mesma posição com bolsas, sapatos, lenços,  roupas…produtos inspirados não enganam ninguém e quem tem que resolver se quer sua criação sendo reproduzida por outra marca 0u não é o designer. Mas nunca apoiaremos a falsificação.

Afinal, comprar uma Alexa wannabe no eBay é tranquilo desde que ela não venha com uma placa escrito Mulberry. Ela não é e nunca vai ser uma Mulberry, por mais idêntica que seja, e dizer que se é algo que não se é é desonestidade com a cliente. Falsificação é desonestidade, e, pior, a cliente sabe que é falsificado e compra como uma forma desesperada de aumentar seu status quo portando uma embalagem “Mac” em sua “Birkin”. É todo um sistema sujo com o qual o Fashion Descontrol não quer se envolver.

Voltando ao caso inicial, a referida casa de cosméticos é bem conhecida, tem lojas espalhadas por toda cidade e sempre se abastece de novidades ótimas. Eles com certeza tem uma boa receita financeira com o que vendem legalmente e não precisavam ter se envolvido com um produto falsificado. Então chegamos a política que assumimos em relação a esse tipo de comportamento:

A partir de hoje decidimos que não mais oferecemos espaço para essa casa em nosso blog. Como isso faz parte da nossa política de evitar propagar qualquer coisa que possa fazer mal a nossa leitora, existe uma saída para que essa casa volte a fazer parte das marcas de que somos amigas:

  • Assumir quaisquer danos de saúde que o produto falsificado possa causar e responsabilizar-se por oferecer tratamentos para clientes que o necessitem;
  • Declarar que o produto é falsificado a cada cliente antes que ela realize a compra, como forma de não perder o estoque;
  • Ao fim do estoque, não adquirir mais produtos falsificados sejam MAC ou Vult.

E também oferecemos a opção de provar que o produto é legalmente MAC, o que nos faria responder com uma retratação pública.

Oferecemos o direito de resposta porque o minímo custo para obter o nosso humilde espaço publicitário é tratar sua cliente com honestidade, responsabilidade e comprometimento.

#comofas: bronzeando sem torrar

Wednesday, February 23rd, 2011

Antes que vocês se perguntem “por que essa doida tá falando de bronzeado quase no fim do verão?” eu me justifico: como beesha recém chegada do velho continente, o verão pra mim começou a mais ou menos uma semana…e com ele começou, igualmente atrasada, a mesma odisséia de todo ano, o bronzeado.

Pra algumas pessoas, ele vem mais naturalmente, aqui em casa por exemplo, eu sou a única possuidora da pele branco-albina-translúcida e que, consequentemente, tem mais dificuldade em passar do bronzeado palmito a uma cor mais dourada sem empacar no rosa porquinho/vermelho tomate.

Já falamos aqui de como escolher o biquini certo para o seu tipo de corpo, como escolher seu chapéu de diva e até como amarrar canga, e hoje eu vim aqui mostrar os vários truques e segreginhos, que vão muito além do nosso bom e velho amigo protetor solar, capazes de tornar o processo de bronzeamento mais suave (e seguro para a pele!), vem comigo!

De dentro para fora
Uma coisa que ouvimos bastante é que o bronzeado começa na verdade de dentro para fora. O consumo de determinados alimentos ricos em betacaroteno (essa substância amiga ajuda na produção de melanina que, por sua vez, é responsável por nos deixar morenas!), como cenoura, abóbora e laranja ajuda muito! Além disso é importante consumir alimentos ricos em vitaminas do tipo C, ricas em antioxidantes, que combatem o envelhecimento precoce e fazem com que tenhamos a cútis jovem por mais tempo.

Mas, com toda a modernidade desse mundo, existe atualmente no mercado uma série de nutricosméticos que tornam a nossa vida mais fácil e já trazem dentro de uma cápsula todas essas substâncias mágicas que protegem nossa pele dos efeitos nocivos do astro rei (em tempo, não substituem o protetor solar, não sejam doidas!) e ajudam o bronzeado verão a se concretizar e se manter por mais tempo.

Na hora certa

Isso todo mundo também sabe, eu sei, mas vale a pena lembrar, sempre, que existem horários do dia em que a radiação solar é muito intensa, intensa demais…e a exposição constante nesse horário potencializa os efeitos nocivos e pode causar queimaduras, manchas e, sim, rugas.

– Das 7h00 às 10h00 é o horário ideal para cultivar o bronzeado, sempre usando o protetor solar adequado ao seu tipo de pele;

– Das 10h00 ao meio dia é a faixa considerada de perigo moderado, pois o sol vai ganhando intensidade e se tornando mais e mais perigoso;

– Do meio dia às 14h é o horário “proibido”, sem ficar estirada no sol que nem uma lagartixa torrando, você vai acabar vermelha e descascando!

– Após as 14h00 o sol vai perdendo intensidade, e à partir das 15h00 volta a ser seguro para exposição direta.

Por hoje é só, pessoal! Aguardem cenas dos próximos capítulos, porque ainda tenho muito a falar sobre bronzeado (como dar uma forcinha à natureza, como manter a cútis da cor do pecado, …), e muitas experiências (algumas ridículas) para dividir com vocês!


Força na peruca: como cuidar de cabelos ou mechas loiras

Tuesday, February 22nd, 2011

Há um mês atrás resolvi fazer uma mudança nas madeixas. Para radicalizar geral, fiqueir loira. Mas meu cabeleleiro, como bom profissional que é, achou muito radical, tanto na questão da quantidade de química quanto na questão de visual, e sugeriu fazer mechas como um processo progressivo para o loiro que eu quero.

Com as mechas feitas e bem claras, uma das minhas preocupações foi com o cuidado e manutenção delas. Não queria que as mechinhas ficassem com cores estranhas.

Ninguém merece aparecer com a cabeleira tipo gema de ovo!

Vou citar aqui alguns dos cuidados que toda beesha com tintura loira deve seguir.

Após fazer a tintura em seus cabelos faça uma hidratação, uma semana depois mais ou menos. A tintura acaba ressecando os fios então invista na hidratação para manter seu cabelo com brilho. Ela também é necessária para fechar as cutículas do cabelo que são abertas para receber a tintura.

Use shampoos e cremes de cores violeta, roxo, cinza e azul eles ajudam a evitar e neutralizam tons amarelados ou alarajados em seu cabelo. Shampoos brancos também estão liberados mas não conte com eles se o seu cabelo já estiver com a cor alterada. Fuja louca pelada na chuva dos shampoos de cores laranja e amarelo, a menos que sua intenção seja mesmo andar por ai tipo omelete. Existem várias marcas de boa qualidade que possuem shampoos próprios para cabelos com mechas ou tintura loira, se jogue.

Não se esqueça de proteger os fios com um leave-in hidratante e com protetor solar, principalmente ao sair ao sol cazamiga para uma piscina ou praia. Isso é básico para qualquer cabelo mas nos cabelos com tintura loira o efeito do esquecimento numa piscina com cloro pode ser um lindo tom hulk à suas madeixas.

Verde no cabelo não é legal.

É bom evitar água quente na hora de lavar os fios com mechas, que pode acabar ressecando ainda mais, entretanto confesso que este item eu sou meio relapsa porque tenho muito frio e o chuveiro sempre tá no super quente (sim até mesmo no verão).

E por conta do mesmo motivo da água quente, tente evitar chapinha e secador que desidratam ainda mais os fios do seu cabelo.

Meninas se tiverem outras dicas não deixem de comentar!

#comofas: amarrando a canga como uma carioca

Tuesday, February 22nd, 2011

No último fim de semana, entre estresses de aluguel de apartamento, compra de móveis e utensílios domésticos, decisões de decoração e chá de panela, o bofe resolveu que mereciamos um tempinho de descanso e me levou pra conhecer as terras cariocas. Foram passeios no bondinho, fotos clichê no Cristo e embasbacamento no forte do Niterói inesquecíveis.

A dado momento, não nos aguentamos: catamos o frango, a farofa e rumamos a praia de Copacabana. Afinal, tem coisa mais failmylife do que visitar o Rio de Janeiro e não poder dizer pro mundo que estava em Copa-CO-Copacabana? Fora que, sem Copacabana, eu jamais teria essa foto sensacional:

PORQUE EU SOU RYCAH

E também não teria minha canga mais linda do universo.

Essa não é a minha, mas a minha é essa, capito?

Como boa TURISTONA que sou, comprei souvenirs por dez vezes o preço de produção no Corcovado e uma famigerada “Canga com estampas da internacionalmente famosa calçada do Rio de Janeiro, projetada pelo gênio Oscar Niemeyer em um momento de inspiração nas curvas perfeitas da mulher carioca, aliás o Niemeyer mora naquele apartamento ali ó, dá tchauzinho, gaucha” (segundo palavras do próprio vendedor).

Quando eu vi a canga a venda falei pra minha sogra (é, viajamos com sogra) que era o objeto mais lindo de todos os tempos da última semana e que eu PRECISAVA COMPRAR. Ela me respondeu que a canga era bonita mas tinha visto uma mulher com o vestidinho de mesma estampa que era mais charmoso.

Então perguntei ao vendedor e melhor amigo do internacionalmente conhecido arquiteto Oscar Niemeyer se ele não tinha um vestidinho do calçadão. Foi quando a mágica aconteceu diante de meus olhinhos e minha canga se transformou em um vestidinho nas mãos do “estilista vestindo a modelo ao vivo aqui no calçadão, tira uma foto artística dela aí, simpatia” (palavras do vendedor novamente).

Foto artística do casal com relevo rochoso carioca compondo a cena

Olha, cariocas, podem rir porque isso é feijão com arroz pra vocês, mas eu sou curitibana e achei tudo mágico. Só minha cor do pecado nas pernas já resume o quão entendida em praia eu sou – então imaginem o know how sobre amarrações de canga.

Logo, resolvi estudar essa ciência mítica com objetivo de dominar arte do amarrismo cangótico. Descobri que esse pedaço de pano pode se transformar num vestido, numa saia, numa frente única…gente, é como se o MacGyver criasse uma peça do vestuário feminino!

Separei todas as referências que achei bonitinhas pra monter um #comofas bem bonito pras amigas que precisam de assistência cangal assim como moi. Como não entendo pantalhufas de cangas e praia, o texto é adaptação de várias dicas reunidas. Fiquemos com a sabedoria de quem já mostrou o caminho das pedras de petit pave. Vem comeeego:

Vestido de Frente Única – Sugestão do Blog Consultoria da Natura

Acho que essa é a mais básica de todas. Tenho impressão que fica boa só com cangas de tecido fino, mas nunca se sabe. É tão fácil que até uma pata como eu realiza:

Com as duas tiras da canga dispostas nas laterais, de forma que a largura da canga seja maior que o comprimento, passe a canga por trás do corpo, cruzando as duas pontas de cima na frente. Amarre as duas alças de cima em volta do pescoço.

Passo a passo do ombro sóSugestão do M de Mulher

Achei que essa tem a cara da riqueza. Veja bem, não parece uma canga que você usaria em Dubai enquanto seu marido milionário compra diamantes para você? Bom, pra mim é o que parece. Enquanto não trabalhamos com Dubai, marido rico ou diamantes, as areias de Guaratuba me aguardam para me ver desfilar assim.

1. Mantenha um dos lados da canga junto à lateral do corpo. Segure uma ponta em cima do ombro e passe a outra por baixo do braço.
2. Dê uma volta e meia em torno do corpo, deixando o tecido bem esticado.
3. Una as duas pontas com um nó sobre o ombro.

Passo a passo do tomara que caia – Sugestão do M de Mulher
1. Coloque a canga atrás do corpo e passe as pontas pela frente do busto.
2. Torça as duas pontas e faça um nó entre os seios.
3. Finalize ajustando o tecido no busto.

Canga como Saia – sugestão da Contigo

Essa me parece uma sugestão segura. Não é a mais linda, mas tem seu quê de emperuamento. A curvinha lateral da uma diminuida na prateleira de borracharia que se tornou minha companheira nos últimos meses.

E, por último, a coisa mais sensacional da vida:

Bolsa Furoshiki – sugestão do Melhor Amiga

Gente, isso é uma bolsa. Uma bolsa. Fora o nome japonês (jamais achei que os japoneses criassem tecnologia praiana), a coisa é toda bem latina. Aprende aí a fazer e arrasa na praia, gathan:

Não é genial? Olha, já to arrependida de não ter comprado a canga com estampas de fitinhas do Nosso Senhor do Bonfim que ia ficar linda como bolsa, mas acho que é um gesto providencial pra restar um souvenir baiano pro futuro.

Por fim, abro a caixa de comentários e o coração para vocês tirarem sarro da minha cara por não saber lidar com uma canga (Curitiba, essa Europa brasileira, formou meu caráter) mas peço humildemente que surjam também felizes sugestões sobre como usar essa peça veranesca.

Quem sabe um dia eu saio de canga/vestido causando frisson pelas calçadas curitibanas. Se alguém me ver no meio da neblina, quédizê.

Descontroladas por aí: #PBC day five – Picnicdelefante

Monday, February 21st, 2011

No quinto e último dia dos desfiles do quinto Paraná Business Collection, tivemos o prazer de ver o desfile mais gracinha cuti-cuti do momento, da marca Picnicdelefante. Com um quê de anos 20 e muito romantismo, a estilista maringaense Isabella Shimizu Seghese encheu a passarela de cataventos (presentes também em aplicações em algumas das roupas e nas mãos daqueles sentados na primeira fila, um charme só!) e fluidez, arrancando suspiros (ohn!) de todos aqueles que tiveram a honra de acompanhar o desfile.

Muito off white, azul marinho, pérolas, listras estilinho navy…muito amor é a definição perfeita para a coleção apresentada, na modesta opinião dessa que vos fala. Nos pés, meias 3/4 finas e oxfords ou sapatos de salto, todos trabalhados na delicadeza e no estilo bonequinha!

Quanto aos acessórios, muitos enfeites de cabelo, complementando os coques delicadinhos e românticos, além das “bolsas” de espelho, lindas lindas! O make impecável, pele de bonequinha, lábios delicados, sobrancelhas apagadas e muitos, muitos cílios postiços!

Olhem só que graça a estilista Isabella Seghese, sendo aplaudida de pé por todos, tão fofa quanto sua coleção!

E chega ao fim nossa odisséia no Paraná Business Collection! Espero que tenham gostado da nossa cobertura, e que venham muitos mais eventos baphos! Como sempre, quem quiser ver mais fotos, corre lá no flickr! Deixo vocês com o vídeo da música perfeitinha que embalou o desfile da Picnicdelefante, Comme des enfants, da banda canadense Coeur de Pirate!

Coeur de pirate || Comme des enfants from Dare To Care Records on Vimeo.

Fotos by @belsalemme.

Descontroladas por aí: #PBC day three – Yet

Saturday, February 19th, 2011

O militarismo é uma tendência trabalhada e retrabalhada à exaustão, mas sempre existem novas maneiras de interpretar um estilo, certo?! Foi assim que a Yet trouxe seu “exército” para a passarela no terceiro dia de Paraná Business Collection, com muito jeans, peças curtas e sensuais (algumas até meio curtas demais pro padrão dia-a-dia), botas pesadas, suspensórios e acessórios, como meias/polainas listradas nos braços, quebrando um pouco a austeridade (sim, palavra complicada, mas foi O termo para definir esse desfile).

Além dos bordados e aplicações, em sua grande parte dourados, acessórios como cintos de corda e chapéus militares fecharam o look. No make, sobrancelhas desenhadas davam às modelos uma expressão super séria. Os cabelos lisos (bem lisos) e só.

O ponto alto desse desfile, no entanto, foi a apresentação ou, como diriam os franceses, a mise en scéne: desde as folhas no chão e a música até a formação das modelos tanto na entrada quanto na saída, remetendo à marcha de um exército…tudo muito bem apresentado, adorei!


Como sempre, para mais fotos do desfile e do backstage, corrão lá no nosso flickr!

Descontroladas por aí: #PBC day three – Fábio Bartz

Friday, February 18th, 2011

Com a temática do café brasileiro trabalhada tanto nas cores do make quanto na decoração da passarela em si, o terceiro dia do PBC começou com o desfile do estilista Fábio Bartz. Além disso, os grãos inspiraram as estampas geométricas, os recortes, as listras e as aplicações de tecidos e botões.

A coleção de inverno veio toda trabalhada em cores sóbrias mas com muito jogo de estampas e texturas, um toque constante de tons de rosa, entre o antigo e o salmão, pra quebrar a seriedade. As peças, todas muito bem cortadas, diga-se de passagem, remetem à alfaiataria mas com um toque de modernidade muito bem vindo

Sapatos mais pesados , sempre acompanhados de meias, fecharam o visual, além de em alguns looks, dar um toque a mais de cor (amo sapatos vermelhos!). Além do make, bem marcado com olhos e bocas bem escuras (tanto nas meninas quanto nos meninos), cabelos presos com bastante volume e chapéus panamá arremataram em grande estilo um desfile muito agradável aos olhos (juro que isso não teve nada a ver com os modelos sem camisa, tá?!)

Corrão lá no nosso flickr, estamos sempre atualizando com mais fotos dos desfiles e dos backstages. E não percam, hoje mais tarde tem mais #PBC!

Descontroladas por aí: #PBC day two – All Purpose, Lady Louca (+Lord Louco) e Joyful

Thursday, February 17th, 2011

O segundo dia do PBC contou com três desfiles. O primeiro foi o da All Purpose. Um verdadeiro show, no sentido literal da palavra. A coleção masculina, inspirada nos pubs ingleses, conta com detalhes como echarpes e bonés. Os modelos apresentaram as peças com a “cara limpa”, a coleção toda está tão urbana que consigo enxergar os looks da passarela nas ruas e bares. Confiram como ficou a participação da banda Radiophonic no desfile.

O segundo desfile foi o da Lady Louca e o add plus a mais do Lord Louco. Ambas coleções trabalharam na escala cinza. O toque especial ficou por conta do trabalho realizado no couro, o corte a laser, dando formas bem delicadas aos looks. Houve um trabalho intenso nos casacos, que as estilistas da Lady Louca comentaram ser um dos pontos fortes da marca. A coleção masculina Lord Louco foi lançada neste desfile e contou com peças como calça sarrouel de moleton e galocha #medinho.

O que também chamou a atenção e foi sucesso entre a cocotada foram os sapatos femininos, criados pela designer de acessórios Juliana Schumann Hess. Um mais delicado do que o outro e todos de acordo com a coleção apresentada no desfile. A própria estilista do Lady Louca (Michele Candido) estava com um par no dia seguinte e eu mesma fiquei babando quando os vi novamente no showroom.

bota e luva pcb lady louca e juliana hess

Bota e luvas de tecido, coisa linda!

O último desfile, o da Joyful, teve como tema as borboletas e a passarela foi ilustrada com casulos. Além do tema, que sou suspeita para falar pois adoro tudo que tenha borboletinhas, também adorei o fato da marca possuir a proposta de sustentabilidade nas suas peças. Os acessórios e alguns detalhes nas roupas foram confeccionadas a partir de plástico reciclado de outdoors. Também foi valorizado o trabalho de tricô e peças em lã.

Com isso o desfile contou com a presença da blogueira Chiara Galeta do Ser Sustentável com Estilo. Chiara comentou conosco, blogueiras curitibocas, após o desfile, o já tão abordado tema: que blog tem que ter conteúdo relevante e que é isto que faz a diferença.

Descontroladas por aí: #PBC day one – Lafort

Wednesday, February 16th, 2011

No primeiro dia do PBC, além do desfile baphão do Jefferson Kulig, assistimos também o da Lafort e essa descontrolada que vos fala se apaixonou, surtou e quis comprar tudo o que viu na passarela (bom, quase tudo). A Lafort já é uma marca bem conhecida no mercado paranaense, mas eu tenho que admitir que conhecia porque quando eu era mais nova, minha mãe adorava comprar roupas de lá. Quando vi o nome da marca no line-up dos desfiles, achei meio curioso, mas quando entrei no backstage e vi as roupas lindas, fiquei muito surpresa (e mais ainda na passarela!). A coleção é super romântica, baseada no Théâtre de la Mode, com um degradê de cores básicas, alguns tons terrosos, uma coisa linda de se ver!

Além disso, os detalhes, ah, esses malandrinhos! Sapatinhos com lacinho, luvas, muitas luvas (com pelinhos, com lacinhos…), cintos devidamente posicionados pra dar um toque de cor (seguindo as dicas da Debs!)…enfim, eu poderia ficar horas e horas aqui falando do quanto eu gostei do desfile da Lafort, mas se uma imagem fala mais do que mil palavras, se segurem na cadeira porque eu tenho muitas imagens!

Outra coisa muito legal é que mesmo sendo uma coleção de inverno, os looks não pareciam pesados. Vimos muita combinação de materiais, de trench coats mais pesados a shortinhos de paetês e bolerinhos de pele, decotes nas costas, tudo isso deu um ar muito cosmopolita pra coleção e fez várias meninas à beira da passarela sorrirem (imagino que, assim como eu, se imaginando vestindo tu-di-nho que passava, caminhando pela quinta avenida ao som de Empire State of Mind).

Agora, os detalhes que eu comentei antes, as luvas, os sapatos…

A beleza do desfile veio bem básica, esfumadinho discreto com um toque de cor nos lábios (cores mais terrosas também, corais, laranjinhas…). Coque com fiozinhos arrepiados arrematava em grande estilo um desfile, na minha opinião, impecável!

Pras beeshas descontroladas que quiserem ver mais fotos, tem mais algumas lá no nosso flickr. E não esqueçam de seguir no twitter porque hoje tem mais cobertura live direto do PBC.