Archive for December, 2010

Descontroladas por aí: 5, 4, 3, 2…

Friday, December 31st, 2010

Hoje o post é diferente e talvez um pouco piegas. Era pra ser um post engraçadinho sobre como não queremos mais clogs, fluo, saruel e fashionistas uniformizadas em 2011. Mas eu resolvi que o post ia ser um testemunho (não de Jeová) pessoal.

Vocês conhecem a Debs palhaça, a bee que ri de tudo e faz piada com qualquer situação. Mas vocês não conheceram a Debora anterior a tudo isso, meio tímida, com uma auto estima terrível e com uma vida pessoal bem bagunçada. Que não tinha amigos, não se dava bem com ninguém…

Eu fazia parte do time de fashionistas uniformizadas. Na época, isso significava que obrigatoriamente eu tinha que estar de bandage preta com blusinha coladinha, correntinha de pérola de vidro com nózinho e ankle boot. E eu seguia  a cartilha, que era só um dos sinais de que eu tinha medo de ser eu mesma.

U'r doing it wrong, gaaal!

Porque não existia uma unidade de Debs no ínicio de 2010, existia essa coisa que não confiava em sí mesma e precisava desesperadamente se encaixar na sociedade. Sendo moda minha grande paixão na vida, eu copiava as tendências alucinadamente pra ser igual a todo mundo pois só assim, na minha cabecinha, eu seria aceita.

Mas no fundo eu era só uma pessoa afetada. E infeliz. E que não tinha uma coisa sequer na vida funcionando direitinho.

Foi mais ou menos nessa época que entrou na minha vida um dos primeiros personagens que fez 2010 valer a pena: a Marília. A Mah é dona da Sundae Inc., loja sobre a qual falamos aqui. Ela usa roupas adesivas e curtas junto com decotões e tudo aquilo que as fashionistas frígidas adoram condenar numa mulher. E tá sempre tão linda, linda, linda sem sair do próprio estilo, nunca se deixar influenciar pelo bombardeio diário que é viver no mundo da moda de uma forma negativa.

E também me ensinou a beber drinks de bichinha.

Ela foi a primeira pessoa que me inspirou a ser eu mesma e me fez parar pra pensar se essa coisa  de ter que ter e ter que usar num é algo muito opressor. Obrigada Mah!

Foi a primeira limpa do meu armário, tentando jogar fora aquilo que não me fazia me sentir bem e eu só tinha porque alguém disse que era o último grito do mundo da moda fashion, sabe?

Então comecei a buscar meu estilo. Experimentei algumas coisinhas, tive uma fase bem Taylor Monsem (creep), mas precisei passar por ela – foi o que me deu coragem para o próximo passo.

Meu jardinzinho!

Sempre tive paixão por modificação corporal e mas tinha medo de fazê-las porque ficava imaginando o que os outros iam pensar. Tomei fôlego e, em junho, fiz a primeira tatuagem e coloquei meus alargadores. E me sinto linda com eles, mesmo que algumas pessoas falem que é feio uma dama ter modificações. Mas é meu, é meu jeitinho.

Nessa época Lelê e Kaká já estavam na minha vida. E foram elas que me ensinaram que uma mocinha não precisa decidir entre ser culta, bonita, gostosa, inteligente ou simpática.

Eu sempre me dividi entre ser a intelectual e a gostosona da sala e sempre suprimia um pra ser o outro. Depois delas entrarem na minha vida, descobri que mulheres lindas podem ser geniais e companhias simplesmente deliciosas! Que eu não precisava me encaixar em um dos esteréotipos se sou capaz de assumir vários e me divertir com isso.

Ser monga é uma arte!

Lelê e Kaká também me ensinaram o valor da amizade verdadeira, de estar lá pelo outro simplesmente porque ele precisa. Que existem pessoas que conquistam seu coração, que se tornam quase família. Que ter amigas mulherzinhas pra chorar, pra rir, pra babar no Gerard Butler, pra comprar sapatos e pra discutir o quanto a Íliada e a Odisséia são uma grande história mal contada (né Lê?) é necessário na minha vida. Obrigada Kaká, obrigada Lelê.

Lelê também não sabe, mas me ajudou muito, me ouvindo e aconselhando em problemas familiares que se arrastaram pra esse ano. E foram elas que me deram forças pra que eu persistisse lutando pra que tudo ficasse bem. E pra que eu tomasse coragem de assumir quem eu sou perante minha família.

A melhor coisa da minha vida.

Meu pai e minha mãe esse ano passaram a ser pessoas mais compreensivas, mais amigas, mais tolerantes e me aceitar do jeito que eu sou. Mesmo que hoje isso seja ter tatuagens, alargadores e ser meio maluca e mal humorada, e largar um curso numa federal por não gostar nas portas da formatura.

Eu aprendi que família unida é a coisa mais linda e mais importante do universo.

Eu descobri que eles não precisam concordar comigo, mas podem me amar e aceitar apesar das coisas que não concordamos. E isso me fez me amar um pouco mais e também me aceitar, apesar de nem sempre concordar comigo mesma. Obrigada Mãe, obrigada Pai.

Ela foi pra França e essa é a única foto que temos juntas "/.

Foi essa força de amar a mim mesma que me fez não cair do cavalo quando coisas bem ruins aconteceram esse ano. Essa força e as pessoas do meu lado, incluindo a Belle que é um anjinho de candura, uma amiga sem igual com quem eu rio muito que tem um sistema de enxugar lagrímas mútuas junto comigo. Mesmo que do outro lado do Atlântico…Obrigada Belle! Você me ensinou que ser bem humorada pode ser kinda sexy.

E aí entra o meu namorado. Que, vocês lembram, aturou crises de auto estima intermináveis, me dando força pra me moldar até aqui. E que também mudou junto comigo em 2010.

U make me feel like I'm living on a teenage dream...

Entramos o ano sendo o casal que não para de brigar que todo mundo não entende porque insiste nisso. Saímos ouvindo pelo menos uma vez ao dia que somos o casal mais harmonioso que existe. E isso porque aceitamos que não somos o casal do comercial de margarina – mas somos nós mesmos e isso é o que nos basta. Obrigada Malk, meu amor – você me faz me sentir linda mesmo que eu esteja de camiseta e jeans.

Esse ano foi o primeiro ano em que tive um grupo de amigas – um grupo que é uma mistura de How I Meet Your Mother com Sex and the City, um grupo que me faz me sentir compreendida e aceita mesmo sem estar no meio de vários xerox.

Encontrinho da comunidade As mais gatas de Curitiba - só VIPS

Obrigada novamente Mah, Belle, Kaká e Lelê e também à Thaís, Julia, Flávia, Luisa, Manu. Vocês foram uma das melhores coisas de 2010 – me deixam ser eu mesma sem medo.

Paz na faixa de Gaza!

E também não posso esquecer de vários amigos que estiveram do meu lado novamente em 2010 ajudando nessa caminhada da construção da Debs de hoje: Sah e PH, vocês tem um lugar especial por ter sido os terapeutas do dia a dia em toda essa caminhada.

Quando eu descobri tanta gente bonita em volta de mim, eu tive força pra me amar um pouco mais. Pra assumir que eu uso o que eu gosto, o que me faz me sentir bem. Como moda é minha paixão, estar bem comigo mesma refletiu nisso e eu encontrei meu estilo.

Hoje eu não preciso comprar tudo que está na moda. Eu consigo achar algo bonito mas não pra mim. Eu encontrei meu estilo – que não é rocker, nem romântico, nem vintage…é quase isso mas é outra coisa! É o estilo da DEBORA.

Hoje consigo entrar em uma loja e ver vestidos e sapatos que são lindos, mas não tem a ver comigo por mais na moda que estejam.

Então eu lembrei que no último encontrinho de blogueiras de 2010 teve um momento em que percebi um grupinho de meninas de saias de tule, cinto com nózinho, ankle boot com meias…todas tão iguais!

Imagino que algumas delas sejam exatamente isso e estivessem felizes, mas a maioria estava xerocando o manual de tendências e não exprimindo nada de sí mesma…

Moda é arte. Maquiagem é arte – já ensina Sta. Cher que seu rosto é sua tela. É nossa forma de externar nossas felicidades e angústias na escolha das cores e formatos que queremos transmitir. Moda é se travestir de sí mesmo e sair pra enfrentar o mundo com sua fantasia sem medo.

Então usem clogs, usem fluo, usem saruel, usem esmalte hologáfico, usem alta costura na praia…se quiserem. Se te fizer feliz, se você olhar no espelho e se ver linda, usa mesmo! Se joga bonita!

Mas antes de tudo, usem sorrisos. Usem abraços. Usem uma tarde folgada em casa pra se amar nem que isso signifique tirar um cochilo ou ler um livro sozinha.

Usem espelho. Usem suas curvas, suas gordurinhas a mais, seu seio a menos, seus moldes pra escolher aquele look que te deixa gostosissima valorizando tudo que você ama em si mesma. Usem saia tulipa ou bandage mesmo que vocês tenham uma bunda enorme. Usem, se vocês se olharem e se sentirem maravilhosas, usem.

E se você achar que meia com tamanco ou cinto com nózinho é ridículo não tem lei que te obrigue a usar nada.

Usem tudo que vocês sentirem que é um presente pra vocês mesmas.

Sinto que falo por Kaká e Lelê também quando digo: desejo que em 2011 você se encontre, encontre sua felicidade, se ame, se goste, que você se dê presentes. Eu desejo que em 2011 você encontre seu próprio estilo – pois só o tem quem é muito feliz consigo mesma.

A gente se vê no ano que vem!

Testando 1, 2, 3: pack de 12 sombras Halet

Thursday, December 30th, 2010

Breeelho é o nome do meio de qualquer bee que se preze, incluindo eu. Foi por isso que enxerguei double rainbows all the way quando, nas minhas pesquisas pra montar minha lojinha, encontrei esse xuxu aqui.

Ela é simplesmente linda! Tem 12 cores bem pigmentadas. Mas tipo, muito pigmentadas. Mas tipo, a maior pigmentação do mundo. E brilha demais da conta!

Testei as doze cores no meu bracinho pra vocês verem, sem primer nem água.

Sempre lembrando que sombras soltas devem sempre sempre sempre ser aplicadas com pincel molhado ou vão fazer só cosquinha na sua pálpebra. No caso das sombras da Haylet, sem a água elas viram iluminadores mega potentes, então é uma coisa meio multiuso, saca?

Pra quem quiser adquirir as bichinhas, basta passar lá na Cotton Candy Store, minha lojinha de makes garimpados, acessórios, bijus criadas por mim e travestismos em geral!

Testando 1, 2, 3: coleção A Lady & Her Tricks: pincéis MAC

Wednesday, December 29th, 2010

Esta coleção foi outro achadinho que trouxe de fora. Ela inclui 5 pincéis que são básicos para montar uma make legal. Os pincéis são menores do que os vendidos separadamente e com eles vem uma bolsinha fofa. O preço da coleção completa é de 50 dólares, os mesmos pincéis no tamanho original vendidos separadamente totalizam 146 dólares, vale a pena!

Todos eles tem o número da versão regular mais as letras SE, que significam Special Edition. Achei o tamanho dos pincéis bem prático, principalmente para levar em viagens ou até mesmo em necessaire para dar uma ajeitada no make na hora do almoço. Acredito que, por conta da diferença de tamanho, a versão SE tenha uma pequena diferença na precisão e leveza para fazer os makes mas estou bem contente com a aquisição.

Coleção A Lady & Her Tricks: pincéis MAC

Este kit é muito amor.

Os pincéis que vem nessa coleção são os seguintes:

168SE Large Angled Contour Brush

168SE Large Angled Contour Brush

Perfeito para passar blush. Ele é macio e portanto deixa um ar mais suave e natural no blush, o que ajuda a você não sair na rua com cara de Emília (sim a do sítio). Sua forma chanfrada facilita a aplicação do blush, o pincel segue o encaixe e contorno do rosto e bochechas.

187SE Duo Fibre Brush

187SE Duo Fibre Brush

Este é o amado das travestis de plantão. Podemos colocar nele o selinho double rainbow pois com ele é só alegria, combinado com o Studio Fix (também da MAC) ou uma base mineral faz milagres. Ótimo para deixar uma pele uniforme, leve e natural, cara de rica mesmo. Também pode ser usado para aplicar iluminador de forma bem suave para ficar com cara de adolescente como a Lê explicou aqui.

209SE Eye Liner Brush

209SE Eye Liner Brush

Para fazer aquela linha no look de gatinha, pode ser usado com produtos líquidos ou cremosos. Para esta função também existe outro tipo de pincel, o angulado, que na minha opinião pode ser mais prático, vai muito do gosto da freguesa mesmo.

219SE Pencil Brush

219SE Pencil Brush

Com cerdas curtas ele é um pincel mais firme. Ideal para esfumaçar delineado e sombras ou criar um make com o côncavo bem definido, o tipo mil e uma utilidades que dá um leque de opções para ser criativa com a maquiagem.

252SE Large Shader Brush

252SE Large Shader Brush

Este também é um pincel firme, usado para aplicar sombra. Por ser mais durinho este pincel pega bastante da sombra que você utiliza na montagem da make, o que agiliza a aplicação. Sua forma achatada também facilita o trabalho ao fazer um make.

Testando 1, 2, 3: Schwarzkopf Bonacure Repair Rescue

Monday, December 27th, 2010

A Schwarzkopf é uma das marcas mais conhecidas do meio beautistico capilar, embora ninguém ainda tenha aprendido a falar seu nome sem cuspir. O bafo tem fama de deixar o cabelo com cara de juba de gente rica e bem sucedida – coisa que o meu sempre precisa.

A Thais fez um giveaway dazamiga dia desses e eu ganhei o Leave in da linha Boancure Repair Rescue pra tentar acostumar meu cabelo com uma situação financeira de mais dignidade.

Foi na mesma época em que o Dellavega fez aquela benção no meu cabelo, e Lelê confessou que ficou maravilhada pois já tinha se conformado que meu cabelo só raspando. Para motivar esse meu novo eu que cuida do cabelo com amor, Lelê me deu de presente o shampoo e o condicionador da mesma linha. Sim, eu sou uma bicha sortuda e com amigas ótimas.

A linha Bonacure (ou BC) é bem completa e me parece ser (lembrem que to entrando nesse mundo capilar só agora) a linha profissional que promete salvação aos fios das relaxadinhas como eu. A Repair é a linha vermelha dos potes de produtos finos e compactos que não ocupam muito espaço em seu banheiro. Ela promete dar um reset nos fios ressecados e destruídos por muita química.

O Shampoo e o Condicionador são um pouquinho densos, pesados…parecem até que vão carregar o fio, sabe? Mas o resultado é bem o contrário: os fios ficam leves e com bastante movimento, uma belezura! Já no banho você sente o cabelo dar aquela derretida básica de produto que hidrata bem.

Já o leave in é bem pesadão. A Thaís já tinha reparado nisso, mas, como o cabelo dela é mega power hidratado e bonito, imagino que pesou mais que no meu. Meu cabelo que vive precisando de tratamentos de choque aceitou bem o produto, embora tenha ficado ligeiramente mais oleoso que o de costume. Imagino que, conforme ele for ficando mais forte, vai começar a rejeitar o produto.

O brilho, leveza e maciez que o cabelo ganha com o tempo são indiscutíveis. O único problema é o cheiro: não é que seja ruim, mas parece cheiro de remédio! Nunca tinha visto nada capilar assim, fiquei meio espantada. Mas, vai ver é pro cabelo já internalizar que será curado em nome de Jesus, né?! De qualquer maneira, o cheiro sai cinco minutinhos depois que o cabelo seca, deixando só um cheirinho de cabelo limpo.

Como cabelos danificados normalmente estão bem secos e sem vida, a linha dá aquela mega hidratada. Imagino que isso não seja bom pra quem já tem cabelo oleoso, mas o meu é misto. Quem já tem cabelo bem cuidado também deve sofrer uma sobrecarga com o produto, então evitem a overdose, bees!

Agora, pro meu sonho ser completo, só falta eu ganhar/comprar as ampolinhas de restauração da marca. Sim, eu sou a louca das ampolinhas.

Vocês podem comprar o produto em salões que representam a marca ou na Sacks. Uma terceira (e mais econômica) opção é esperar uma amiga de condiçõe$ viajar e trazer pra você. Falando nisso, obrigada Thaís e Lelê que contribuiram com o sucesso desse post e da minha nova vida capilar!

Testando 1, 2, 3: Coberturas foscas

Wednesday, December 22nd, 2010

Depois de anos do lançamento da cobertura fosca da Big Universo e com a aceitação já comprovada do mercado, todas as marcas de esmaltes brasileiras resolveram lançar suas próprias versões desta cobertura. E com isso, louca do esmalte que sou, resolvi colocar a prova todos os que encontrei aqui em Curitiba.

Coberturas foscas: Big Universo, Colorama, Impala e Ana Hickmann

Antes tarde do que nunca!

Fiz dois testes com 4 marcas de cobertura fosca. A primeira comparação foi feita uma cor clara e a segunda com uma cor escura. Vamos então as comparações:

Comparação de coberturas foscas com cor clara

Na mesma ordem dos vidrinhos, no dedo indicador Big Universo, no médio Colorama, no anelar Impala e no mindinho Ana Hickmann.

A primeira é com o esmalte Buquê da Impala, utilizei 2 demãos. A ordem das coberturas foscas é a mesma dos vidrinhos acima. A cobertura que ficou mais fosca foi a da Impala, entretanto ela rachou o esmalte, oi? Como assim? Isso mesmo gente, achei super estranho, a cobertura fosca da Impala rachou o próprio esmalte da Impala e no segundo teste com a cor escura isso também aconteceu, triste. Talvez seja interessante para criar uma linha de esmaltes que quebram como o Black Shatter da OPI ou os esmaltes da Mia Secrets.

O da Big Universo foi o segundo mais fosco, mas com ele o esmalte continuou inteiro no meu dedinho, sendo assim a melhor cobertura fosca na minha opinião. O Colorama não fica muito atrás do Big Universo, a diferença é bem pouca mesmo e ele é bem mais fácil de encontrar, então para as meninas que não conseguem achar os vidrinhos da BU o Colorama serve bem.

Já a cobertura da Ana Hickmann não tem efeito fosco, ela na verdade tem um efeito emborrachado como os esmaltes da coleção Plastix da ORLY, um efeito bonito mas com o nome errado.

Comparação de coberturas foscas com cor escura

Mesma ordem da comparação anterior, com as diferenças mais evidentes.

A segunda comparação deixa bem visível o que comentamos na primeira. Neste segundo teste utilizei o esmalte Dama da noite da Eliana, apenas uma demão do esmalte deixou esta cobertura incrível. Note novamente que o anelar com o Impala ficou rachado. A diferença entre o Big Universo e o Colorama ficou mais evidente no esmalte escuro.

Quero já: pedir presente – quem nunca?

Tuesday, December 21st, 2010

Hoje ia ter tutorial de natal, mas devido a alguns fails natalinos que rolaram, o tutorial vai entrar no ar só amanhã. Aí, aproveito esse momento para tirar a dúvida dazamigue que queiram mandar presentinhos pra blogueira que vocês mais amam no mundo – eu, no caso.

Primeiramente eu queria pedir que alguma amiga phyna, rycka e bem sucedida na vida me compre um Meteorites da Guerlain. Sim, eu sei que dizem que não serve pra muita coisa, mas eu quero fazer a rycka com um desses na penteadeira – coisa linda!.

Os esmaltes da Deborah Lipmann tão um bafão sem fim – quero todos! Menção honrosa para o Boom Boom Pow (que tem OURO na composição), o Today Was a Fairytale (que tem diamantes, gente!) e o Happy Birthday (só porque ele é lindo SEULINDO).

Ainda no campo dos esmaltes, ando SONHANDO com um Nfu Oh! holo porque, além de ser o holo mais holo dos holos mais holos ainda tem esse vidrinho que é uma coisa de riqueza.

As sapatilhas da Alice Disse sempre me deixaram boba porque oi, eu curto coisas fofas. Mas eu sempre me acabei nos pumps porque sou um traveco montado 24/7. Daí sofri um acidente esse mês (não quero comentar, abafa) e estou afastada dos saltos por uns bons momentos. Sapatilhas fofas pra mim já, gente, tenho pouquíssimas.

Aliás,  além de sapatilhas fofas, curto as sapatilhas de cores FORTES MESMO. Essa semana já adquiri uma turquesa e uma pink que não ameaçam minha formação óssea. Agora estou sonhando com uma amarelinha, mas tá difícil.

Por último, o set de batons Chicletes da Tracta está na wishlist de basicamente todo mundo que ainda não tem. Como já tenho cores super parecidas, não tá rolando uma coragem de abrir a mao, mas to com taaanta vontade!

Nem quis falar em roupas, mas vestidinhos ladylike, cores fortes da paleta pantone de primavera 2011, cintos pra marcar a cintura e tudo que tenha lacinho, coraçãozinho ou caveirinha ME ÇEDUS.

E vocês meninas, o que estão esperando achar nos pacotinhos sob a árvore desse ano?

Descontroladas por aí: no Brasil também tem blogueiras de streetstyle!

Monday, December 20th, 2010

Na hora de se inspirar pro look do dia, já virou um hábito procurar blogueiras de streetstyle. Que atire a primeira pedra quem não sempre pensa em nomes como Miss Pandora, Cherry Blossom Girl, Betty, Andy…Mas todo esse pessoal está lá em cima, do outro lado do globo, fazendo a gente se sentir sempre uma estação atrasada.

Poxa, gente, e as blogueiras brazucas? Sabia que elas também são sensacionais? Vamos dar valor a elas também? Olha as vantagens:

  • as brasileiras provavelmente compraram seus paninhos em locais mais acessíveis para nós (a não ser que seja tranquilo dar um pulinho em NYC toda semana pra você);
  • apesar do Brasil ser um país de dimensões continentais habituado a dilúvios no sul e secas no norte ocorrendo ao mesmo tempo, no geral, essas meninas estão pelo menos na mesma estação que você;
  • as calçadas brasileiras não são tapetes – as blogueiras de streetstyle daqui tem que levar isso em conta na hora de se calçar;
  • o clima brasileiro não ajuda muito na fixação do make. Quem melhor que uma brasileira pra propor soluções pra isso;
  • culturalmente falando, tem peças que se usadas aqui podem fazer você ser identificada como ALOCKA do escritório. Que tal conferir como essas meninas se propõe a solucionar isso?

Viu como é vantajoso acompanhar essas meninas? Agora dá uma olhada no que você tá perdendo:

A Casa Está Cheia de Flores – por Lily Zemuner

Quem vai gostar: quem curte um estilo delicado, estampas florais, saias de cintura alta e uma atmosfera um pouco vintage. A Lily parece ser uma bonequinha!

Deveria Estar Estudando – por Mell

Quem vai gostar: quem gosta de um estilo rock & roll e de moda sem afetação. A Mell tem um estilo próprio tão marcado que seus looks quase não se deixam influenciar por tendencinhas. Pra vocês terem ideia, nunca vi um único look da fofa com cintura alta!

Hoje Vou Assim Off – por Ana Carolina

Quem vai gostar: quem vai gostar não, todo mundo já gosta! Esse blog já é super conhecido e sempre traz uns looks com pechinchas absurdas! Fora o estilo light de se vestir – inconfundível.

So Shopaholic – por Fernanda

Quem vai gostar: quem curte moda desencanada e com humor. A Fernanda usa coisas diferentonas mesmo sendo gente como a gente – daquelas que pasam calor, desmontam no make e precisam de um sapato confortável. Como se toda essa inspiração não fosse suficiente, ela tem a mesma loucura por gatinhos que nós descontroladas manifestamos.

Geleia Geral – por Renata

Quem vai gostar: as fãs de uma carioquice! A Renata é uma dessas provas de que não tem jeito: o Rio é a nossa versão de LA. Maxi vestidos fresquinhos serão vistos por aqui.

Tem muito mais blogueiras brasileiras que mereceriam menções honrosas na hora de manter a classe, garbo e elegância enquanto derrete sob nosso sol tropical! Vocês conhecem alguma? Compartilhem aí na caixa de comentários ou até divulguem seu blog de streetstyle, gente!

Força na peruca: cabelos da passarela direto pra ceia de natal!

Friday, December 17th, 2010

Já falamos nossos sábios conselhos para escolher o vestido do sucesso pra comer a ceia de natal. Mas e o cabelo, como a gente procede?

Primeiramente lembremos que o melhor é escolher cabelos que você faça sozinha em casa com suas próprias mãos porque conseguir horário num salão decente no natal não é das tarefas mais fáceis. Além disso, seu cabeleireiro também merece um tempinho pra comer peru com dignidade, então deixa o bonito descansar no dia 24.

Outra coisa válida pra se lembrar é que natal é em dezembro e dezembro dizem que é verão. Aguarde um calor apocalíptico! Logo, as mais espertinhas escolherão cabelos leves e fresquinhos. E o que lembra mais cabelo leve e fresquinho mantendo a cara de rica do que um belo de um coque? Então simbora se inspirar só em gente bonita e MAGRA que desfilou pros últimos bafões:

Coque Rosquinha

O coque rosquinha apareceu no desfile mais finesse desse ano, que até me fez descer do meu salto de creuza e comentar algo sobre uma semana de moda. Ele fica bem fresquinho e charmoso e o volume de cabelo pouco pode ser disfarçado pelo recheinho do “donut” capilar. A Joo do Sem Finesse que tem um picumã IMENSO já provou que é possível fazer a Princesa Léia e driblar o volume interminável de cabelo nesse penteado de forma inteligente.

Aprende aí: Manual Coque Rosquinha por Julia Petit

Coque enfeitadinho

Uma das grandes tendências pra 2011, sem dúvida, e você pode já estrelar no Natal 2010 na casa da vó. Pode ser uma florzinha, um lacinho, uma bijou…mas nada ganha dessa sugestão da Versace aqui com o vinil embalando e preso com elástico – que pode ser substituído por renda por alguém menos Lady Gaga. Não estranhem se me virem asim na rua não, eu sou louca eu posso.

Coque Alto

Graça Ottoni mostrou no Fashion Rio essa coisa maravilhosa que é o coque altinho e magrinho. Ele é tao fantástico que até Serena Van der Woodsen já deu o ar da graça com ele certa vez. Além de bem fresquinho, o bichinho é fácil de fazer e mega sustentável.

Aprendeaí: Tutorial Coque altinho La Isla Bonita

Coque Bagunçadinho (Messy)

Não se deixe enganar pelo coque bagunçadinho! Ele é o que dá mais trabalho com mil voltas e reviravoltas em tranças até chegar o resultado final. Em compensação é o que dá o efeito mais UAU COMO ELA FEZ ISSO? O efeito fica super duper interessante, bee.

Aprendeaí: Tutorial de um coque messy no Estilo Garota. http://www.estilogarota.com/?p=8571

E os produtinhos?

Pra segurar o bafão todo sem derreter nesse dezembro maluco, você vai precisar de alguns melhores amigos. Lá vai a lista:

  • Bons grampos de cabelo e elásticos, da cor do seu.
  • Se for o caso, um acessório ou pedaços de tecido que possam servir de acessório.
  • Musse pro volume e um Spray de confiança pra fixar – o da Aspa aguenta bem as pontas, bonita!
  • Pomadinha pra  dar movimento nos coques bagunçados e deixar tudo lisinho e sem meleca.

Todo mundo com cabelo de rica nesse natal, entao?! Eike peruas!

Testando 1, 2, 3: Matte Vinyl e Cashmere Cardigan da ORLY

Thursday, December 16th, 2010

Aqui vão duas experiências felizes com esmaltes da ORLY, marca da gringa mas que já deu suas caras aqui no Brasil.

Swatch do esmalte ORLY Matte Vinyl

O Matte Vinyl da coleção Matte Couture.

O esmalte Matte Vinyl é um preto fosco. Na hora que o vi lembrei deste nail art diferentoso apresentado pelo site Lacquerized (sim Dé estou olhando para você :D). As embalagens dos esmaltes dessa coleção, assim como as cores, também são foscas.

Swatch do esmalte ORLY Cashmere Cardigan

Swatch do esmalte ORLY Cashmere Cardigan

E o Cashmere Cardigan da Coleção Prepster, achei a cor linda, um lilás menina moça, ótimo para usar diariamente sem assustar as velhinhas curitibocas (normalmente uso cores que fazem com que a minha fama da louca do esmalte cresça). Duas demãos são o suficiente para cobrir totalmente a unha. A duração é incrível, daquele tipo que você acredita que terá de cortar os seus pobres dedos fora para o esmalte sair.

Os esmaltes ORLY possuem a tampa diferenciada, que foi inclusive patenteado pela empresa, mas para mim a manipulação dele não foi nada de tão especial assim. Outra coisa que me chamou atenção e fez com que a ORLY ganhasse muitos pontinhos é que a sua linha completa de produtos não contém DBP, tolueno, formaldeído e resina de formaldeído, ou seja, uma ótima escolha para as meninas que possuem alergia.

A ORLY possui sites em português que foram lançados este ano assim como a chegada da marca ao Brasil. Um deles é informativo http://www.orlybeauty.com.br/ e o outro a loja online http://www.orlybeautyloja.com.br/

Os preços da loja não são o desejo de consumo das creuzas de plantão mas pra quem não tem segurança ou vontade de comprar no eBay, é uma opção. Fazendo um comparativo, no eBay existem vendedores que comercializam o esmalte tamanho mini a menos de 10 reais incluindo a taxa de envio aqui para o Brasil, já no site da loja oficial da ORLY o mesmo esmalte sai por R$ 17,28 sem contar a taxa de envio.

E se alguém conseguiu ler este post inteiro sem lembrar da imagem a seguir, acredito que agora não deixará mais de fazer tal associação.

Descontroladas por aí: Louis Antoni Hair Style – uma segunda experiência

Thursday, December 16th, 2010

Vocês lembram do caso infeliz do formol que me deu alergia numa progressiva? Pois é, várias amigas foram ao mesmo salão nos dias seguintes e tinham testemunhos ótimos. Do tipo tratamento vip, atenção total e produto excelente – dava até impressão que não era o mesmo salão. Então o que teria acontecido? Será que eu deveria voltar lá ou reclamar algo?

O caso é que não foi preciso procurá-los, pois o Louis Antoni Hair Style agiu de uma forma que eu não esperava: eles leram minha insatisfação e encontraram uma forma de entrar em contato comigo para conversar sobre o que aconteceu e oferecer um novo tratamento – uma reconstrução capilar para reparar o dano que a progressiva fez no meu cabelo. Topei na hora, pois estava realmente curiosa pra voltar ao local.

E o que aconteceu? Fui até o salão e tive uma longa conversa com o Dellavega, gerente do salão. Ele me explicou que o salão aqui é uma franquia de uma rede espanhola e que eles tem algumas normas para controle de qualidade. Uma delas, por exemplo, diz que cada cabeleireiro deve ter uma especialidade (escovista, colorista, corte…) para que ele possa estudar sua especialidade a fundo.

Enchendo o Dellavega de perguntas!

Outra regra dessa rede é que eles buscam um nível zero de insatisfação – motivo pelo qual ele me contatou e está contatando todas as meninas que tiveram alguma reclamação. Quando um problema ocorre, eles buscam o contato com a pessoa e uma forma de solucionar e satisfazer a cliente. Foi assim que chegaram até mim.

O Dellavega foi mega atencioso. Ele até me passou alguns segredinhos sobre coloração, hidratação e vários tratamentos que renderão posts quentes sobre o assunto por aqui.

Ele ouviu tintim por tintim da minha versão da história e pediu mil desculpas pelo acontecimento. Disse que eles cometeram um erro ao não planejar suas agendas de forma a atender perfeitamente a todas as clientes, mas que isso já estava sendo sanado e aos poucos as coisas voltavam ao normal – com o padrão de qualidade que toda a rede busca. Pelo que eu conferi, é o que felizmente está acontecendo, considerando que conheci muitas meninas satisfeitas com o serviço.

Hora da cauterização e recuperação dos fios!

Depois passamos para uma cauterização para recuperar meus fios. Ele me apresentou os produtos utilizados, todos da marca Tahe (que eu ainda não conhecia), me explicando que pensar que queratiniação e cauterização são a mesma coisa é muito errado. Isso porque algumas meninas já tem uma considerável carga de queratina e acabam dando uma overdose no cabelo – o deixando todo emborrachado. Isso já aconteceu com a Beta do Maria Vai Comigo, lembram?

Por isso, o produto da Tahe não tem só queratina, mas várias vitaminas necessárias para um cabelo saúdavel. O processo começa com uma lavagem e massagem (gente, que massagem!) com um shampoo que abre a cutícula para que a cauterização comece. Então a carga de reposição é colocada em todo o cabelo, e, após sua ação, o cabelo é selado com a chapinha.

Modelando o cabelo pra dar aquele volume natural.

Depois disso tudo, ainda acontece uma escova modelada para que você saia com o cabelo bem legal. Segundo o Dellavega, todas as escovas no Louis Antoni são modeladas – nada de cobrar a mais por isso já que o objetivo da escova é realmente dar movimento e maciez ao seu cabelo.

O resultado?

Sinceramente não lembro de ter visto meu cabelo com esse brilho e maciez. Eu vivo falando o quanto maltrato meu cabelo com descolorantes, calor, progressivas…mil coisas! Entrar no salão com o cabelo mortinho que eu tava e sair assim é inexplicável.

Além do tratamento nota 1000 nesse ótimo dia, conheci todo o salão, a equipe, a filosofia de trabalho e até os produtos de maquiagem bafíssimo da Tahe que logo logo estarão a venda no salão. Pele de rica com uma base super bem defínida e rímel NEON, gente!

Olha esse rímel, que bafo!

E qual minha conclusão a respeito dessa história toda? Olha, todo mundo tem direito de errar. Eu creio que peguei o salão em um dia ruim, a cabeleireira num dia péssimo e o resultado foi aquele que vocês sabem. Se justifica? Nada justifica um tratamento químico mal aplicado. Porém eles buscaram reparar o dano de uma forma tão dedicada e carinhosa que, sinceramente, nunca vi outro salão ou qualquer tipo de estabelecimento agir assim.

O padrão de qualidade que eles demonstraram não só comigo, mas com outras clientes que tive conhecimento, foi de uma excelência ímpar. Talvez eu tenha dado um grande azar de fazer parte da curta porcentagem de insatisfeitos que acaba ocorrendo com todo mundo.

O atenciosíssimo Dellavega e eu maravilhada com meu novo cabelo.

Mas eles recuperaram minha confiança de tal maneira que eu, que não tinha um salão de confiança, acabei saindo dessa segunda chance com um. Estou marcando minha coloração e uma nova progressiva – dessa vez com teste de alergia e demais cuidados – para muito em breve. E amei a linha de make.

É a prova de que todo mundo merece uma segunda chance pois erros podem acontecer por mais que você tome cuidados e policie seus atos o tempo todo.

E, apesar de eu ter ganho a cauterização como forma de reparação da progressiva complicada da visita anterior, garanto que isso não é um post pago ou algo do tipo. É realmente o testemunho de uma cliente recuperada por uma boa equipe de relacionamento com o cliente.